Aprender como melhorar a memória para estudar é uma iniciativa de desenvolvimento pessoal que favorece não somente o aprendizado, mas muitas outras atividades da vida.

Afinal, ninguém gosta de esquecer datas, acontecimentos e compromissos importantes. Ainda mais quando eles já foram exercitados em nossa memória.

Com uma rotina atarefada e informações chegando em forma de enxurrada, é natural que o cérebro mal treinado pareça estar “sobrecarregado”, então pensamos não dar conta de processar tudo.

Mas esse é um grande engano.

Pois a memória pode estar apenas sendo subutilizada. E quando não existe um processo adequado, nunca encontramos o que fazer para melhorar a memória de verdade.

No caso dos estudantes, é comum o cérebro precisar armazenar uma quantidade grande de conteúdos. Uma tarefa complicada para quem tem pouco tempo para se dedicar em tantas matérias.

A boa notícia é que o nosso cérebro é extraordinário e tem a capacidade de armazenar informações como uma esponja absorve água quando a toca.

Utilizar o nosso cérebro corretamente durante o aprendizado é a única maneira como melhorar a memorização dos estudos e ganhar desempenho.

Aliás, o nosso cérebro é capaz de guardar tantas memórias que a ciência sequer conseguiu medir com exatidão todo o seu potencial.

Você já imaginou como melhorar nos estudos e fazer o desbloqueio de toda essa capacidade de forma orgânica?

Existem várias maneiras de estimular o cérebro para armazenar informações importantes com mais facilidade. E nesse artigo, você aprenderá como fazer proveito de uma peça seletora do cérebro para isso.

Essa seleção é feita pelo hipocampo, uma região que nós utilizaremos bastante em alguns exercícios para melhorar a memória enquanto se estuda, tudo de uma só vez, acompanhe!

 

Como Melhorar Os Estudos Exercitando O Hipocampo

figura mostrando posição do hipocampo no cérebroO hipocampo é uma estrutura profunda do cérebro encontrada no lobo temporal do córtex. Ele é conhecido por sua essencial função de consolidar nossas memórias.

Quando estudamos algo de novo, criamos um único caminho neural no cérebro. Quanto mais transitado o caminho, ou seja, quanto mais processos cerebrais sobre certa informação, mais forte o caminho e também mais consolidada a memória semântica sobre o que foi aprendido.

A função do hipocampo é muito clara em meio a esse processo. Ele é responsável por transmitir essas informações da memória de curto prazo para a memória de longo prazo.

Isso significa que aprender como melhorar a memória para estudar envolve aproveitar-se desse mecanismo feito pelo hipocampo no momento do aprendizado.

Em matéria do Dr. Majid Fotuhi, neurocientista treinado em Harvard e diretor da NeuroGrow Brain Fitness, foi publicado um famoso estudo esclarecendo mais o papel do hipocampo para a memória.

Nele descobrimos que são produzidos cerca de 700 novos neurônios na região do nosso hipocampo diariamente. A maioria não sobrevive antes de se tornarem membros ativos da nossa rede neural.

Isso significa que desperdiçamos nossos neurônios prematuramente caso eles não ganhem função. E aprender como melhorar a memória ao estudar está em nossa capacidade de plasticidade cerebral.

Com o estímulo correto, podemos produzir mais quantidade de neurônios. E por estímulo, podemos igualmente criar neurônios mais altos, largos e fortes também.

Existem muitas formas de aproveitar melhor essa função do hipocampo enquanto estudamos. Mas antes de vê-los, vamos conhecer as principais formas conhecidas de exercitar o hipocampo.

O Que Fazer Para Estimular O Hipocampo

O hipocampo é como uma central de processamento da nossa memória de longo prazo. Nela ocorre a potenciação de longa duração, uma espécie de ignição para nosso cérebro gerar memórias.

Por isso, estimular essa região é tão importante e também a melhor forma como melhorar a memória para estudar e ter melhor desempenho em qualquer aprendizado.

As principais formas conhecidas pela ciência para estimular o hipocampo são as seguintes.

  • Exercícios físicos – alguns estudos comprovam que exercícios aeróbicos aumentam o volume do hipocampo. Os exercícios incluem caminhar, correr, pedalar, nadar, praticar box e até mesmo dançar.
    .
  • Incrementar a alimentação – aprender como melhorar os estudos envolve gastar energia. Então reponha essa energia se alimentando com peixe, beterraba, chocolate escuro e café, pois estimulam o hipocampo.
    .
  • Treinamento cognitivo – quanto mais criamos ligações neurais, mais facilmente nosso hipocampo as cria. Fazer palavras-cruzadas, modificar a rotina e desafiar-se em jogos é um bom treinamento para isso.
    .

Essas formas de estimular o hipocampo são semelhantes as dicas ensinando como ter boa memória segundo os campeões da memorização.

Talvez eles não soubessem o porquê, mas agora está um pouco mais claro que o hipocampo está no centro da performance da memória.

Os competidores de memória precisam de qualquer vantagem que os coloquem a frente da concorrência.

Talvez isso seja interessante para quem quer entender como melhorar os estudos para concorrer nos concursos também.

No final, qualquer dessas recomendações aqui são úteis, mas em nosso caso, vamos nos concentrar nas formas de treinamento cognitivo para estimular o hipocampo.

Esses exercícios são feitos de forma natural durante o estudo e combinam para garantir uma memória boa enquanto se aprende. Mas claro, contanto que seja feito corretamente.

 

Como Exercitar a Memória Pode Garantir Velocidade Nos Estudos

Imagine poder memorizar 525 dígitos em sequência em apenas cinco minutos?

Foi isso que o sueco Marwin Wallonius conseguiu aos 18 anos. Um grande feito que o transformou em um dos campeões mundiais de memorização.

E engana-se quem pensa que o rapaz é um prodígio.

Na verdade, os cientistas acreditam que o cérebro destes mestres da memória funciona de forma semelhante ao das pessoas comuns.

A diferença não está na capacidade diferente que temos para armazenar, mas sim na técnica e velocidade que o cérebro treinado consegue dar significados a novos estímulos sensoriais da memória.

Aprender como melhorar a memória para estudar, nada mais é do que treinar o tempo que a mente leva para organizar informações e formar conhecimentos em uma rede neural.

Isso consiste em gerar associações que tornem tudo facilmente recordável no futuro. E como explicado, essa é a tarefa do nosso hipocampo, que pode funcionar muito melhor sob estímulos.

Claro que isso exige método e repetição de treino cognitivo, que é o único possível exercícios para melhorar a memória. Enquanto o hipocampo tornará tudo naturalmente mais veloz futuramente.

Existem métodos de aprendizado acelerado muito eficientes para estudar ao mesmo tempo que se faz esse treino.

Em muito pouco tempo eles podem tornar sua memória num verdadeiro armazém para guardar com segurança grandes quantidades informações.

Conhecemos elas como técnica de estudo e memorização, e algumas são mais notórias do que outras. O Método Feynman é um exemplo muito simples disso e cabe bem como exemplo.

Assista nesse breve vídeo os 5 passos da técnica de aprendizado acelerado de Richard Feynman para aprender qualquer coisa em menos tempo:

As 5 Etapas da Técnica Feynman Para Aprender Qualquer Coisa

 

5 Técnicas Neurocientíficas Que Ajudam A Memória Nos Estudos

Ao longo dos seus anos na escola, cursinho e faculdade, você já se deparou com técnicas de memorização mesmo sem saber por que funcionavam.

Elas envolvem diversos elementos como música, figuras de linguagem e imagens, entre outros, para fazer associações.

Essas associações não se passam de caminhos neurais se entrelaçando com outros já memorizados. E são a receita de bolo para lembrar de tudo com mais facilidade.

Todas essas técnicas tornam a informação mais facilmente memorável para o cérebro. E podem ajudar na forma como melhorar nos estudos certamente.

Mas memorizar também não significa que você é dono dos conhecimentos em sua memória. Muitas vezes apenas gravou informações que não tem vínculos sólidos e podem estar desorganizadas perdendo-se depois.

Isso deve deixar bem claro para você que a memorização não é sinônimo de aprendizado. Por outro lado, a verdadeira memorização de qualidade se dá ao absorvermos conhecimentos.

Então precisamos encontrar caminhos mais promissores para aprimorar a memória nos estudos.

Com essas práticas cientificamente comprovadas pela neurociência, você aprende como lidar com o conhecimento e como melhorar a memória para estudar, aproveitando melhor o seu tempo.

Elas podem evoluir muito a sua performance acadêmica e até profissional se forem utilizadas com sabedoria.

Leia também em nosso blog → Top 5 Dicas de Memorização Para Os Estudos

 

1. Duplique a Memorização Ao Ensinar

como melhorar a memória para aprender mais rápido

Uma das melhores formas de aprender é ensinar.

Isso pode soar estranho, mas funciona bem na forma como melhorar a memória para estudar qualquer tema.

Quem explica isso é Peter Doolittle, PhD em psicologia educacional da Virginia Polytechnic Institute and State University, dos Estados Unidos.

Precisamos repetir, praticar e falar com as pessoas. É precisamos anotar e, chegando em casa, rever anotações. Precisamos praticar no decorrer do tempo, pensar de forma elaborada e de forma ilustrativa

Explicou durante palestra do TED.

A organização ajuda. Precisamos estruturar o que fazemos de forma que tenha sentido. Caso fornecemos conhecimento e experiência, precisamos estruturar isso

Acrescenta o especialista ao explicar como melhorar a memória aos estudantes.

Peter Doolittle sugere, resumidamente, que se monte uma aula.

Então pense no trabalho que seu professor tem para elaborar o conteúdo que ensina em sala de aula.

Desta forma, dar aula se torna um método eficaz para otimizar a memória já que todo o material absorvido é retrabalhado cognitivamente ao ser replicado para outro.

Caso não exista a possibilidade de dar aula para alguém, dê para você mesmo.

De acordo com especialistas da Universidade de Michigan, uma forma de fazer o estudo sozinho mais eficaz é se fazer perguntas.

Para isso, após ler um conteúdo, se questione e responda em voz alta. Essa é uma boa forma de como melhorar a memória eficientemente, pois faz constantes acessos a ela e reforça os caminhos neurais.

Adotar esse método diminui o tempo necessário para marcar e acessar informações da memória ao longo do tempo, aumentando muito sua performance pelo treino do hipocampo.

A voz tem impacto importante no processo de memorização e fixa mais facilmente informações do que aquelas lidas mentalmente.

Esse é um método comprovadamente eficaz para reduzir o tempo de estudos criando memórias distintas da mesma informação.

 

2. Faça Atividade Física Utilizando Seu Lápis

como melhorar a memória para estudar

Na era digital, tornou-se comum estudantes usarem computadores, celulares e tablets para anotar os conteúdos que estão aprendendo.

Porém, o método convencional de escrever à mão na folha de papel é ainda mais eficiente para a memória e aprendizagem.

Quantas vezes não usamos esses dispositivos eletrônicos enquanto estamos realizando outras funções como conversar ou andar na rua?

Essa certamente é uma ótima forma de não fazer nenhuma atividade direito, já que não nos concentramos adequadamente em nenhuma delas.

Um estudo realizado em conjunto entre as universidades da Califórnia e de Princeton chegou à conclusão de que digitar resulta em um aprendizado mais superficial do que escrever à mão.

Possuímos a tendência de transcrever usando atalhos eletrônicos já prontos, como botões e macros, ao em vez de processar e reformular com nossas próprias palavras. Isso compromete a aprendizagem.

E isso não se limita somente a escrita como você pode imaginar.

Independentemente se um estudo for feito através de textos, associações ou desenhos, o ideal é que ele seja reproduzido de forma manuscrita.

Dessa forma o cérebro vincula um conteúdo aprendido para o marcar na memória de forma sinestésica também. Pela própria física da escrita manual.

Essa é uma forma como melhorar a memória ao mesmo tempo que o estudante está conhecendo a matéria.

Esse efeito pode otimizar o tempo gasto no processo de aprendizado incrementando os próprios estímulos sensoriais.

Durante suas escritas para memorizar, use linguagem simples – nosso cérebro tem mais facilidade em absorver vocabulários mais curtos.

Faça também esquemas, conexões e associações com símbolos e cores. Quanto mais organizada for a informação por sua interpretação pessoal, mais facilmente ela é memorizada e recordada.

 

3. Elimine Distrações, Você Não É Multitarefas!

como melhorar a memória para estudar

Quando recebemos informações simultâneas de diferentes fontes, não criamos uma linha de raciocínio eficiente e tornamos mais difícil a fixação de um conhecimento na memória.

Para que o hipocampo possa gravar melhor na memória de longo prazo sem descartar informações, é preciso concentração e foco com certa intensidade ao conteúdo que você pretende lembrar depois.

No passar do tempo e sendo bem treinada, a atenção é um tratamento cognitivo eficiente sobre as informações e uma forma como aperfeiçoar a memória em geral.

Ela é imprescindível para ter melhor desempenho em tudo o que se queira solucionar também. Sem contar seus efeitos para a velocidade do aprendizado.

Por isso, evite estudar em ambientes onde há barulho ou muitas coisas acontecendo ao redor.

Mesmo que você se esforce para focar e tente absorver somente o conteúdo estudado, os estímulos externos são captados e “brigam por espaço” na sua mente por disputarem pela sua atenção.

Este é um ponto muito importante, especialmente na era em que jovens tentam ser “multitarefas”.

Apesar de termos facilidade para realizar tarefas simultaneamente, o cérebro não é capaz processar várias informações ao mesmo tempo.

Nós conseguimos memorizar mais facilmente uma informação se tivermos tempo hábil para isso. E durante o sono é que nosso hipocampo mais trabalha.

Em outras palavras, é necessário descansar a mente para que ela possa trabalhar com eficiência. Somando isso a qualidade de foco, criamos caminhos neuronais mais fortes para guardar informações.

Um estudo realizado mostrou que descansar em um ambiente silencioso e escuro por um curto período de 10 a 15 minutos melhora a memória entre atividades.

Isso faz com que a informação recebida seja processada pelo hipocampo e guardada mais facilmente. Por isso, é aconselhável você tirar um cochilo entre seus estudos para ter eles bem memorizados.

 

4. Estude Progressivamente Com Revisões

como otimizar a memória para reduzir o tempo de estudos

Professores sempre recomendam aos alunos o estudo diário e com revisões. Sempre começando pelo simples, para depois ir avançando progressivamente em assuntos mais difíceis.

Existem inúmeros conceitos que comprovam como o estudo progressivo aproveita melhor a memória para os estudos, a começar pela dinâmica da repetição.

Estudar diariamente revisando informações com frequência semanal é muito eficaz e faz com que o cérebro interprete o conteúdo como sendo útil para ele.

O efeito disso ocorre pelos recorrentes acessos a nossa memória de trabalho. Aonde ocorre a manipulação de informações e processos executivos em nosso cérebro.

E só por essa dinâmica, já existe processo cognitivo suficiente para que se criem fortes vínculos de memória. Bastando apenas aprender novas informações diariamente sobre o tema e após cada revisão.

Ao adicionar uma informação nova, ela é ainda volátil em nossa memória de curto prazo. Mas quando incrementada, cria “ganchos” com informações da memória durável, expandindo nossa rede neural.

Além da ideia de repetição, aqui ainda existe a de associação de novos conhecimentos. E como uma informação vai levando a outra, o cérebro as organiza melhor após revisões espaçadas.

Desta maneira, é possível relembrar várias informações a partir de uma única que as associe. E também é possível diminuir a curva de esquecimento tão comum no aprendizado.

gráfico da curve do esquecimento de Ebbinghaus

Essa é uma boa forma como melhorar a memória para estudar qualquer assunto e ainda ter mais organização de conhecimentos.

Conseguiu imaginar os efeitos benéficos de fazer isso?

Por exemplo, ao estudar sobre arte, pensar também no contexto histórico ao qual aquele movimento está inserido, ajuda a unificar diferentes conhecimentos.

Isso permitindo que o assunto seja compreendido como um tópico único.

Com isso, falar da arte lhe traz automaticamente na memória seu contexto histórico ou os principais nomes dos artistas daquela mesma época.

 

5. Use a Memória Visual em Mapas Mentais

como aprimorar a memória e reduzir o tempo de estudos

Pessoas com capacidade de memorização acima do comum usam regiões do cérebro relacionadas a memória visual e espacial.

Através de imagens, conseguimos absorver mais agilmente as informações, por isso, sempre que possível, faça uso de tabelas, gráficos, diagramas, fotos, cores e símbolos.

Prefira fazer você mesmo com as próprias mãos esses recursos como forma de melhorar o processo de memorização dos estudos.

Com auxílio dos mapas mentais, conseguimos organizar melhor ainda essas informações visuais. Eles são ferramentas excelentes de aprendizado.

Utilizar eles para melhorar a memória nos estudos é uma das práticas mais recomendadas por neurocientistas. Principalmente para criar anotações e revisões para os estudos.

Para isso, crie imagens e as ligue com coerência com as informações. Depois as anote de uma forma organizada em formato de mapas ou diagramas para que se recorde sempre com precisão visual.

Aliás, aprenda a utilizar a memória visual melhor aproveitando as gravuras dos livros. Elas estão ali para auxiliar sua imaginação e são uma oportunidade de mão beijada para criar memórias.

É através de um processo de criatividade que você faz o trabalho cognitivo que vinculará informações às imagens ali ilustradas.

Lembre-se, colocar a memória de trabalho em ação para funcionar é imaginar, refletir e criar, o que estimula o hipocampo para exercitar a memória em geral.

As palavras são compostas por letras, mas a primeira coisa que vem em nossa mente quando citamos palavras é a imagem do objeto que elas representam e não a grafia das palavras em si.

Portanto, o segredo da velocidade da memória está nas imagens.

Decore as ideias centrais do conhecimento por imagens e deixe as palavras apenas para dar novos atributos as informações.

Utilizando essas formas ensinando como melhorar a memorização nos estudos segundo a neurociência, você certamente pode reduzir seu tempo de estudos drasticamente!

Conheça os Reais Caminhos do Autodesenvolvimento

Ganhe um E-book Grátis e receba nossa serie de desenvolvimento pessoal para você superar os seus limites
Entre para a nossa LISTA VIP