Inscreva-se na nossa LISTA VIP

E Ganhe Nosso E-Book
GRÁTIS !

🔒  Somos contra SPAM

Nos tempos atuais, temos cada vez mais necessidade de acessar informações abrangentes em pouco espaço de tempo, daí nos perguntamos, como ter uma boa memória para acompanhar tudo isso?

A sensação é que nos foram dadas mais informações do que nosso cérebro é capaz de absorver.

Pois dia após dia recebemos uma enxurrada de notícias e informações que disputam por nossa concentração já tão atarefada com tudo o que precisamos realmente lembrar mais tarde.

Mas por outro lado, porque tantas pessoas lidam diferente com esses problemas e tem uma verdadeira memória de elefante para qualquer assunto que convivem diariamente?

Certamente é isso que mais motiva as pessoas a buscarem como ter boa memória. Para dominarem as coisas que importam do dia a dia e para elas não serem esquecidas pela sobrecarga de informação.

Segundo a psicóloga Cynthia Green, coordenadora do Programa de Aprimoramento da Memória da Escola de Medicina de Mount Sinai, em Nova Iorque.

“Quando estamos abarrotados de dados, fica difícil se concentrar naquilo que realmente precisamos lembrar mais tarde”

O nome dado a isso é síndrome de fadiga da informação que, segundo a especialista:

“É muito mais um problema de assimilação do que de esquecimento”.

Desde a Grécia e Roma Antiga, a forma como lidamos com esses assuntos já era uma preocupação. Naquela época, muitas descobertas surgiram para ajudar no rendimento da concentração e memória.

Muitas técnicas se aperfeiçoaram desde lá, assim como os estudos do cérebro humano. Muitos deles estão presentes nas arenas hoje para os homens se digladiarem em verdadeiros torneios de memorização.

E foi baseado nessas descobertas antigas e da ciência moderna que criamos esse artigo. Ele mostrará os segredos dos grandes campeões da memorização sobre como ter uma boa memória.

Mas claro, após melhorar a sua, só você poderá escolher no que vai competir.

 

Quais Os Limites Da Capacidade de Memorização?

A capacidade de memorizar coisas é muito mais dependente da concentração do que você pode imaginar. Assim como do habito de relembrar as coisas constantemente, que significa ter treino.

“A neurociência estima que, para esgotar a memória, uma pessoa teria que passar 300 anos estudando 10 horas por dia. Ou seja, a nossa memória é, na prática, inesgotável.”

O que diferencia os campeões da memorização das demais pessoas não é a capacidade de memorizar e sim a velocidade que ela é feita pelo treino das técnicas mnemônicas corretas em determina ocasião.

Claro que existem os segredos dentro dos cursos de memorização, mas fugindo um pouco deles, existem segredos do condicionamento cerebral para se tornar um verdadeiro campeão.

Alguns problemas como ansiedade, estresse e depressão podem prejudicar essa performance. E buscar como ter boa memória nessas condições seria impossível até eles serem resolvidos.

Pois de formas diferentes, essas questões afetam o hipocampo, região do cérebro encarregada por decidir o que deve ser uma memória semântica futuramente ou o que será esquecido em breve.

Igual aos músculos do corpo humano, o cérebro precisa ser estimulado a se desenvolver. Mas não é através de exercícios físicos que se aumenta a habilidade de lidar com as informações. E não é obrigatório faze-los por cursos e treinamentos também.

Ainda que os hábitos de se exercitar contribuam também sobre como ter boa memória segundo os neurocientistas.

Esses pontos deixam claro que ter alta capacidade de memória está relacionado também a saúde física e mental da pessoa. Algo que os campeões se dedicam para se manter bem e manterem-se competitivos.

Não pelo mesmo motivo, mas pela mesma importância, esses são pontos que as pessoas com problemas de memória deveriam começar a se importar também.

Leia também → Como Escolher um Bom Curso de Memória Fotográfica?

 

A Memorização Superficial Não Faz Boas Memórias

ilustração de cabeça com cerebro mecanico

Aprender como ter uma boa memória é uma questão que envolve exercitar uma série de processos conjuntos. Eles devem fornecer estímulos pela forma de armazenar e lembrar de tudo mais tarde.

Isso acontece porque todas as informações são processadas pelo cérebro de forma superficial inicialmente.

Para que elas sejam convertidas em uma memória de longa duração, é preciso que o hipocampo entre em ação. E se encarregue de transmitir os dados coletados para partes distintas do córtex cerebral.

Neste momento, os neurônios enviam cargas químicas entre as células e a massa cinzenta. Isso define o quão presente ficará essa memória no cérebro e a extensão de determinada rede de neurônios.

Quanto mais superficial for a lembrança, mais fraca se torna esta cadeia de neurônios e mais difícil será percorrê-la para se lembrar das coisas no futuro.

Como bem disse Cynthia Green:

“A dificuldade de armazenamento da memória está mais ligada a como nós assimilamos as informações e fazê-la da forma errada pode significar esquecimento.”

Por isso se aprofundar sobre certos assuntos é uma maneira tão eficaz de memorizar. E há uma explicação lógica para isso.

O cérebro humano tem como um dos seus diferenciais a grande capacidade de associação. Sendo assim, ao se aprofundar em um assunto, você absorverá ideias que se associam em proporções globais para as redes neurais.

Esse processo utiliza da neurogênese e dá função para nossos neurônios antes que eles sejam podados. Fazer isso não é nada mais do que dar significado as coisas que desejamos memorizar.

Suspeita-se que as pessoas com problemas de depressão, estresse e ansiedade liberam hormônios que prejudicam as moléculas responsáveis por transmitir energia em nossas redes neurais.

Mal alimentado, o hipocampo fica sem a ignição necessária para realizar as suas atividades de consolidar as memórias adequadamente.

 

Por Que Os Preguiçosos As Vezes Tem Boa Memória?

homem deitado sobre a mesa do trabalho descansando

Caso você tenha frequentado a academia, sabe bem que o repouso é essencial depois da musculação para os músculos se desenvolverem de forma saudável, certo?

Com o cérebro não é diferente.

Em 1900, o psicólogo alemão Georg Elias Müller iniciou um estudo interessante que se tornaria ainda mais detalhado no início dos anos 2000.

Mas foi pela pesquisa realizada por Sergio Della Sala, da Universidade de Edimburgo na Escócia e Nelson Cowan, da Universidade de Missouri nos EUA que se concluiu uma grande descoberta.

A pesquisa demostrou como ter uma boa memória simplesmente ao dar tempo de descanso para a mente depois de memorizar algo.

O objetivo a princípio era entender se o repouso e a interferência impactavam diretamente na capacidade de memorização dos seres humanos.

Eles reuniram um grupo de pessoas e deram a cada uma delas uma lista com 15 palavras para serem decoradas.

A segunda etapa foi dividida em duas partes.

Enquanto uns ficaram por dez minutos realizando outras atividades cognitivas, outros passaram ao mesmo tempo permanecendo deitados e acordados em um ambiente escuro e silencioso.

O resultado disso deixou os especialistas chocados.

Enquanto os que não tiveram descanso se lembraram somente 14% das palavras lidas, a média daqueles que repousaram saltou para incríveis 49%.

Espantosamente mais que o triplo da capacidade de armazenamento pelo primeiro grupo.

Em outro teste, essa diferença foi ainda maior. Os participantes ouviram uma história e novamente foram separados em dois grupos.

Os que não puderam descansar só foram capazes de lembrar 7% do que foi contado. Por outro lado, as pessoas que repousaram conseguiram recordar 79% daquilo que ouviram.

Posteriormente, descobriu-se que essa técnica é especialmente eficiente para a memória espacial – aquela encarregada de memorizar localizações.

 

Ter Boa Memória Também Significar Ter Boa Concentração

o campeão mundial de memorização com fones de ouvido e óculos especiaisOutra dica importante dos campeões de memorização está em aprimorar a concentração. Pois ela não auxilia somente em como ter boa memória, mas qualquer outra atividade que se faça.

Segundo Joshua Foer, jornalista norte-americano que já venceu o campeonato nacional de memorização:

“A distração é o pior inimigo do memorizador competitivo”

Enquanto se concentra para a realização das provas do concurso, o competidor usa um grande protetor de orelha para abafar os sons externos e óculos de proteção que foram modificados e escurecidos.

Esse tipo de artifício diminui interrupções pois evita o desvio de foco sobre estímulos de outras memórias sensoriais exigindo a concentração nos bastidores da mente.

Esse ensinamento recais sobre pessoas que tem um canal auditivo sempre inundado por informações enquanto utilizado outro meio para estudar, por exemplo, ao utilizar o canal visual para memorizar textos.

Talvez utilizar esses apetrechos não seja muito confortável para certas atividades como melhorar a memória para estudar por exemplo. Algo que uma boa organização de ambiente pessoal já faz com sucesso na maioria dos casos.

Mas a concentração não tem implicações somente sobre interrupções externas. Ela acontece também nas interrupções internas pois nossos pensamentos podem ser barulhentos e conturbadores as vezes.

Pelo mesmo motivo, muitos competidores, não somente da memória, mas dos esportes e trabalhadores do mercado também praticam a meditação como uma forma de silenciar a mente.

 

O Palácio Das Memórias – A Técnica Dos Campeões

Essa é uma das técnicas mais famosas para utilizar a memória. Ela é usada pelos maiores campeões de memorização do mundo e também é um conhecimento muito antigo.

Assista o vídeo abaixo, com as explicações de Marcelo Maia, para entender como a técnica funciona:

Como Ter Boa Memória Com a Técnica do Palácio das Memórias

O “Palácio da Memória” é usado desde a antiguidade e também é conhecido como O Método de Loci(lugares, em latim). A ideia se popularizou com Joshua Foer, escritor do best-seller “A Arte e a Ciência de Memorizar Tudo”.

“A ideia por trás do Palácio da Memória é criar um edifício imaginário nos olhos de sua mente e povoá-lo com imagens das coisas que você quer lembrar.

As imagens mais loucas, esquisitas, bizarras, engraçadas, provocadoras e espantosas. Pois assim são sem dúvidas, mais inesquecíveis.

Segundo Foer em uma palestra no TED em 2012.

“Esse conselho existe há mais de 2000 mil anos nas primeiras escritas em latim sobre memória”

A explicação para isso é científica.

Um estudo da University College em Londres submeteu os campeões de memorização a ressonâncias magnéticas para descobrir diferenças entre eles e pessoas com memória mediana.

Os resultados mostraram que a estrutura e a anatomia são as mesmas. E os participantes admitiram que seu segredo estava no Método de Loci para memorizarem tudo.

O diferencial está na área cerebral a mais que é acionada pelos campeões ao utilizarem tal método e que está ligada à memória espacial e memória visual.

Como É Feito Um Palácio da Memória?

Digamos que você foi convidado para fazer um discurso e quer memorizá-lo da mesma forma que Cícero teria feito milênios atrás na Roma antiga.

“O que você poderia fazer é imaginar-se na porta da frente da sua casa aonde encontraria algum tipo de imagem absolutamente louca, ridícula e inesquecível para lembrar-lhe da primeira coisa que dizer”

Prosseguiu o campeão de memorização Joshua Foer.

ilustração do palacio das memórias

Pense, por exemplo, no percurso que você faz da casa para o trabalho. Você pode usar pontos de referências para associá-los a itens que estarão na sua lista de compras.

A padaria te lembra de comprar leite, a farmácia de comprar desodorante, e a feira, de comprar frutas e legumes.

Quando chegar a hora de ir ao mercado, basta lembrar do caminho que percorre todo dia e dos pontos de referências que guardou na memória.

Assim, nada do que precisa ser comprado será esquecido.

“Era assim que oradores romanos memorizavam seus discursos. Não era palavra por palavra – isso só acabaria com você –, mas tópico por tópico”.

Concluiu o jornalista norte-americano em sua entrevista.

O Método de Loci que utilizar o palácio da memória pode ser encontrado em pdf. Ele está exemplificado na íntegra nosso e-book grátis distribuído aqui em nosso portal. Vale a pena conhecer!

 

As Palavras-Chave que Destravam Toda a Memória

imagem de chave para fechadura de um cerebro

Renato Alves, autor do livro “Não Pergunte se Ele Estudou” é um brasileiro oficialmente considerado por ter a melhor memória do Brasil, é conhecido por ensinar como ter uma memória boa para estudantes do país inteiro.

Ele conseguiu isso através de um método que ele mesmo criou após sofrer muito com o deficit de atenção, que o acompanhou durante toda a época da escola.

Ele ensina o que fazer para ter uma boa memória através do conceito de associação. Segundo ele, uma maneira efetiva de se conseguir isso é através das palavras-chave.

Explica Renato Alves.

“A estratégia é: para cada parágrafo que você ler, defina algumas palavras-chave. Ao terminar a leitura, tente explicar para si mesmo a essência do texto com base nessas palavras-chave”.

Desta forma, sempre que precisar recorrer a um assunto, basta lembrar dessas palavras-chave para desencadear uma série de memórias associadas a cada uma das expressões.

Exemplo de Palavras Chaves Na Memorização

Essa técnica possui uma variação que até hoje é usada por professores de química quando ensinam a tabela periódica aos seus alunos.

Ela consiste em usar acrósticos para aperfeiçoar a memória. É apenas umas das inúmeras técnicas de memorização existentes, mas muito eficiente pois é uma chave para a memorizar inúmeras coisas.

Vamos pensar em um exemplo com o grupo 1A da tabela periódica:

  • H(hidrogênio).
  • Li (lítio).
  • Na (sódio).
  • K (potássio).
  • Rb (rubídio).
  • Cs (césio).
  • Fr (frâncio).

Com a abreviação desses sete elementos, conseguimos construir a frase: “Hoje li na ‘kama’ Robson Crusoé em francês”.

Ainda que a grafia não seja igual, como vemos em “kama” que tem sua grafia correta como “cama”, a fonética ajuda o cérebro a memorizar o grupo químico inteiro em apenas uma frase.

 

A Boa Alimentação Para Melhorar a Memória

ilustração de cerebro formado por cementes e grãos

Uma dieta balanceada e saudável já ajuda a aprimorar a memória com o tempo. Mas certos alimentos potencializam isso e ajudam a consolidarmos melhor as memórias por darem aquilo que ela precisa.

Abaixo, listamos uma alimentação para a memória e concentração ao mesmo tempo. Elas tem muita participação em como ter uma boa memória segundo os campeões que competem em torneios.

Não se trata de uma dieta ou coisa parecida, apenas vale a pena serem consumidas caso você queira melhorar o seu cérebro em performance.

Para isso, passe a ingerir mais:

  • Abacate – Rico em gordura monoinsaturada (benefica). Ajuda a aumentar o HDL (colesterol saudável) e a diminuir o LDL (colesterol ruim). Com isso, facilita a circulação do sangue, tornando também o cérebro mais saudável;
  • Peixes – Especialmente aqueles ricos em ômega 3 (salmão, sardinha e arenque, por exemplo). A substância é importante para a manutenção e o desenvolvimento do tecido cerebral;
  • Semente de abóbora – Para os vegetarianos, a semente de abóbora substitui o peixe. Pois possui ômega 3, principalmente aquele que é essencial para a cadeia curta;
  • Chocolate rico em cacau – A fruta que dá origem ao chocolate é rica em nutrientes antioxidantes importantes para o cérebro, como mostra essa pesquisa. Além de melhorar consideravelmente o fluxo de sangue no cérebro;
  • Morango – É mais uma fruta que combate o estresse oxidativo (que acelera o envelhecimento cerebral). Esses antioxidantes tendem a se acumular no cérebro, em especial nas regiões importantes para a memória.

Como resultado dessa alimentação, o seu cérebro estará mais preparado para tarefas difíceis que exigem mais da sua memória

 

Conclusão

Existem muitas formas de encontrar o melhor desempenho da memória, mas somar as que foram apresentadas aqui, certamente podem levar você bem longe nesse assunto.

Independente da forma que buscara como ter uma boa memória, o treinamento cognitivo deve merecer mais dedicação do que as demais dicas mostradas.

Os campeões de memorização recomendam que sejam separados de 15 a 20 minutos diários para exercitar a mente. Por esse motivo o artigo tem inúmeros links distribuídos pelo texto também.

Alguns deles levam para outras áreas do nosso site que podem auxiliar bastante a treinar seu cérebro e rendem ótimos exercícios cognitivos sobre sua memória.

Campeões de qualquer atividade na vida precisam de descanso, alimentação saudável e boas doses de prazer para terem uma boa química cerebral.

Lembre-se, ter uma boa memória é efeito da nossa saúde cerebral, que também é reflexo da saúde geral de todo o corpo.

Conheça os Reais Caminhos do Autodesenvolvimento

Ganhe um E-book Grátis e receba nossa serie de desenvolvimento pessoal para você superar os seus limites
Entre para a nossa LISTA VIP