Inscreva-se na nossa LISTA VIP

E Ganhe Nosso E-Book
GRÁTIS !

🔒  Somos contra SPAM

Escolher um curso de memória fotográfica significa, na verdade, aprender como exercitar a memória eidética. A habilidade de lembrar nomes, palavras, números e informação visuais com maior precisão.

A nossa capacidade de memorizar imagens é realmente formidável e faz uso da nossa memória visual. Mas poucos têm ideia de como podemos desenvolvê-la corretamente.

Muitos então passam a recorrer diretamente aos cursos e treinamentos online ou presenciais. No entanto, tem dúvidas sobre como tudo funciona previamente.

Ao procurar na internet, encontramos dezenas de opções desses cursos de memorização. Eles podem tornar as nossas escolhas confusas sobre o que exatamente vamos receber.

Foi para esclarecer as dúvidas e apresentar o que pode ser obtido por esses treinamentos ensinando como ter memória fotográfica que resolvemos publicar esse artigo.

Alguns detalhes que passam despercebidos nos anúncios requerem um esclarecimento maior. Principalmente aos que desejam buscar conhecimento e boa performance nos estudos ou no trabalho.

E claro, como existem certos mitos e fatos em torno de o que é memória fotográfica, traremos os esclarecimentos necessário antes de você partir para esse tipo de desenvolvimento pessoal.

Caso você apareceu nessa página em busca de conhecimento, está no lugar certo!

Vamos lá?

 

O que é Memória Fotográfica?

como ter memoria fotográfica

A memória fotográfica é o termo utilizado para denominar uma ótima qualidade da memória visual. O potencial de mantermos imagens na memória como na clareza que temos diante de uma fotografia real.

No entanto, é necessário desmistificar o que é memória fotográfica logo a princípio. Pois o termo empregado existe mais por efeitos de um mito popular do que por retratar uma habilidade humana real.

O homem não registra imagens na memória com precisão fotográfica, apenas pode utilizar tal termo como um horizonte desejável ao aproveitar melhor da sua memória sensorial visual, a nossa memória icônica.

Quando utilizamos informações visuais, ganhamos desempenho geral da memória. Isso ocorre devida a rapidez que o cérebro processa imagens se comparado a outros estímulos sensoriais.

Memorizar através de imagens é um trunfo já conhecido para o nosso desempenho. Mas só pode funcionar utilizando também outros recursos da memorização.

Essa técnica pode ser aperfeiçoada, significando ela a verdadeira memória fotográfica que você tanto ouviu falar, conhecida também como memória eidética.

A grande verdade é que, não existem evidências científicas provando que seja possível a precisão fiel de lembranças visuais para o cérebro humano. Pelo menos não como muitos a apresentam.

Alguns estudos sobre a memória fotográfica foram feitos com pessoas se declarando donas desse dom. Entre elas se incluem personalidades famosas como Darwin, Nikola Tesla e Roosevelt por exemplo.

Nada do que foi analisado é conclusivo, a não ser os conhecimentos existentes sobre a própria memória eidética e os efeitos notórios para memorizar quando nós utilizamos imagens.

Porém, era tarde demais, pois o termo memória fotográfica já vinha sendo utilizada a tempos.

Portanto, quando você deseja fazer um curso de memória fotográfica, está na verdade buscando treinamento para a sua memória eidética ter grande desempenho ao trabalhar imagens e outras técnicas auxiliares da memorização.

 

Como Funciona A Memória Eidética

Todos possuímos a memória eidética em certo grau. Ela é controlada pelo córtex parietal posterior no lobo occipital, parte responsável pelos nossos estímulos visuais e retenção das imagens.

A maioria das pessoas tem as imagens retidas apenas por alguns segundos antes de serem descartadas da memória de curto prazo.

Nesse local ocorre um processo executivo do cérebro realizado pela nossa memória de trabalho, e através dela, é decidido o que será ou não retido como memória visual.

É o que ocorre ao olhamos um objeto por algum tempo e fecharmos os olhos nos forçando a lembrar detalhes. Nos primeiros segundos ainda o vemos com certa precisão, mas logo, os detalhes se perdem.

O que fica em nossa memória fotográfica é a cor, formato ou outros detalhes significativos. Pois somente o que foi objeto alvo de atenção durante a visualização torna-se uma memória visual.

Como o foco é um alvo de atenção consciente, e nem tudo chama a nossa atenção, alguns traços da imagem se perdem rapidamente, então a memória fotográfica perde sua fidelidade.

No entanto, é dessa forma que o cérebro pode funciona mais inteligentemente. Pois ele evita desperdiçar energia com processos cognitivos sem propósitos.

Por causa disso, a finalidade de uma memória eidética não é termos uma memória fotográfica fiel de uma imagem como você deve perceber.

Isso seria um grande desperdício de recursos cerebrais. E nossa mente trabalha de forma diferente para registrar imagens.

Um exemplo de uma memória eidética sendo criada talvez seja a melhor forma de exemplificar isso. Vamos ver como nossa memória trata imagens com um teste de memória visual de rostos.

Exemplo de Memória Eidética

Toda a memória eidética é na verdade a junção de novos traços visuais obtidos, somados com outras formas visuais semelhantes e já consolidadas na nossa memória.

As lacunas da nossa memória fotográfica são formadas pelos embaraçados, distorções e “enxertos visuais” que apenas dão sentido de interpretação para o nosso cérebro lembrar as coisas importantes.

Para entender melhor isso, vamos fazer um teste de memória visual de rostos conhecidos e que tenhamos alguma fotografia visual já memorizada.

como melhorar a memória visual

Tente lembrar-se do rosto da sua mãe, um amigo ou qualquer pessoa muito inesquecível para você.

Perceba que só de falar o nome dela, o rosto já vem em sua mente. Talvez sorrindo por ser uma marca registrada dela em sua memória.

Bem, ela está em sua memória de longo prazo, mas tente lembrar-se agora do desenho das sobrancelhas dela. Tente lembrar-se do formato do nariz ou penteado.

Não se recorda muito bem não é?

Mas então como você tinha a imagem dala gravada sem esses detalhes tão importantes?

Esqueceu o formato do nariz e sobrancelha, mas substituiu por formas genérica não foi?

Não precisa se esforçar muito, seu cérebro registra apenas o que é relevante, o que é marcante, o que você realmente percebe único e foca por certo grau de estímulo.

 

 

Quais As Vantagens De Um Curso de Memória Fotográfica

Sabe aquele curso de memória fotográfica que é oferecido para deixar você com superpoderes como fosse um mutante dos X-Men?

Pois é, ele não existe!

A memória fotográfica não é uma habilidade humana nova, muito menos uma porta da mente que você abrirá para entrar e lembrar tudo o que já visualizou detalhadamente.

Não caia nessa, nada do que está no universo do desenvolvimento pessoal é tão simples como o apertar de um botão. Tudo requer ordem, método, disciplina, e bastante prática.

Mas a partir do momento que você se coloca na posição de aluno e começa a se instruir, em muito pouco tempo a vitória de vencer as dificuldades de memorização no trabalho, estudos e na vida torna-se uma realidade.

Isso porque nossa memória é basicamente o epicentro de toda a performance pessoal para quase tudo o que fazemos.

Pois ter a memória eidética bem treinada garante juntamente:

  • Treino de percepção, concentração e foco
  • Memorizar tudo em quantidade e qualidade
  • Associar rapidamente imagens a informações
  • Memorizar coisas complexas com simplicidade
  • Ganhar conhecimentos profundos em menos tempo
  • Aprender como organizar informações agilmente

Claro que essas são vantagens básicos de qualquer curso de memória fotográfica. Mas existem outros benefícios pouco ditos sobre esse processo de aprendizado acelerado.

Você já imaginou olhar para uma imagem que resume uma palestra inteira do que precisa falar?

Ah, e quanto a olhar um livro com centenas de páginas e poder ler tudo em apenas algumas horas?

Sem dúvidas aprender como desenvolver a memória fotográfica é vantajoso diante de inúmeras situações.

Além de garantir o aprendizado acelerado, ter uma boa memória eidética concede habilidades pessoais bem acima da média.

Leia também → Como Ter Boa Memória Segundo Os Grandes Campeões da Memorização

 

A Atenção ao Escolher Um Curso de Memória Fotográfica

como treinar a memória eidética

Os treinamentos ensinando como lidar com a memória eidética não se passam da forma que utilizamos nosso foco, concentração e memorização a partir dos truques mnemônicos.

Essa é a única forma de dar novos contornos ao que vemos e aquilo que pretendemos tornar mais significativos na mente.

Treinar como a memória lida com imagens é uma técnica antiga e muito útil, mas praticamente esquecida nos tempos de hoje.

Nem mesmo no mercado atual se encontram grandes exemplares do curso de memória fotográfica clássico como se apresentavam alguns anos atrás.

Para reconhecer um verdadeiro mentor de mnemonia é preciso alguns cuidados. Pois conhecedores da técnica de memorização visual ofertando treinamentos fracos é o que mais existe hoje.

Definitivamente não basta apenas saber como ter memória fotográfica e sair replicando só porque dá certo sem qualquer método ou didática.

Para evitar esses tipos de limitações de alguns instrutores de hoje, antes de tudo é preciso irmos as boas práticas.

Um instrutor de um curso de memória fotográfica deve ter realizado algum feito com ele próprio e se utilizando da técnica oferecida por ele.

Assista o vídeo abaixo com o feito de um instrutor real de memória fotográfica colocando sua memória eidética em ação:

Como Ter Memória Fotográfica: Demonstração da Memória Eidética

(vídeo de demonstração do Prof. Robert Abraham)

Esse é o mínimo a se esperar de alguém que se propõe a ensinar memorização não é mesmo?

Portanto, faça algumas perguntas simples ao adquirir um curso de memória fotográfica:

  • O instrutor demonstra na prática como ele faz?
  • Qual o currículo do instrutor ou instrutores?
  • Quais feitos esse instrutor(es) realizou(aram)?
  • Ele tem boas referências e reputação perante o publico?

Perguntas simples como essas vão te forçar a averiguar o histórico do instrutor e assim evitar que você apenas gaste dinheiro com mais aventureiros.

 

Características do Bom Curso de Memória Fotográfica

As caracteristicas de um bom curso de memória fotográfica

Um bom curso de memória fotográfica possui algumas características em comum, mas podem se distinguir de instrutor para instrutor.

Geralmente a didática é mais preocupante pois só será conhecida até que se iniciem os estudos.

Por isso os treinamentos que oferecem uma demonstração de aula gratuita são interessantes.

Os cursos presenciais são difíceis de serem encontrados nessas condições, e até mesmo os oferecidos online. Mas esses últimos, comumente dão vantagens de prazo na desistência da compra.

Nós estamos falando sobre como ter memória fotográfica, mas poucos sabem que ela não trabalha apenas com imagens, mas também com sons, ao memorizar textos e com muitos processos cognitivos diferentes.

Isso sugere que não desejemos meramente uma memória fotográfica, mas também uma mente fotográfica por sinal.

Logo, precisamos estar atentos se o curso aborda tudo durante o treinamento, para que assim a proposta do curso de memorização alcance seu objetivo.

A maior referência para analisarmos as bases da boa memorização fotográfica é o treinamento do Prof. Robert Abraham, que foi o pioneiro no Brasil.

Talvez você se lembre dele da extinta TV Manchete. É um especialista perdurando no mercado sem grandes concorrentes até hoje, por isso é nossa referencia.

A maioria de nós aprendemos a estudar em vida com técnicas mnemônicas árduas e que tornam tudo muito mais difícil.

Isso pode claramente comprometer qualquer didática ensinando como estudar com memória fotográfica.

Certos cursos cometem o erro de abordar temas simplistas e manjados da memorização. Esses são os cursos que mais temos visto no mercado ultimamente e dão desgosto de assistir até o final.

Essa, definitivamente, não é a forma correta para aprender.

Os temas mais profundos e a prática adequada é que realmente trazem a memória eidética.

Por isso vamos examinar esses elementos que não podem faltar em um bom curso de memorização.

 

Treinamento do Campo Visual

aprimorar a visão periférica

Quando estamos falando de um bom curso de memorização visual, é imprescindível o aprendizado de técnicas que expandam o nosso campo de visão.

Também uteis para os cursos de leitura dinâmica, os exercícios para treinar o campo visual tem duas finalidades muito importantes.

  • Ampliar o que enxergamos na visão periférica
  • Gravar por saltos visuais para ganhar velocidade

Esse tipo de treino foi desenvolvido pelos militares da força aérea americana utilizando um taquistoscópio. Um aparelho que reproduzia imagens em frações de segundos.

Dessa forma, seus atiradores treinavam a velocidade visual para distinguir, em flashes de segundos, se os aviões que surgissem em meio aos confrontos aéreos eram de aliados ou inimigos.

Geralmente um treinamento da memória eidética fornece um software para o aluno, como do Robert Abraham por exemplo. Mas alguns acreditam ser desnecessário como é no método Renato Alves.

Independente do método, nem sempre olhar para alguma coisa é sinal que estamos vendo essa coisa certo?

Com exercícios corretos, temos o potencial de olhar para uma sentença curta de palavras e compreender ela. Sem nem mesmo ter lido as sílabas de cada palavra.

Nosso cérebro é rápido, mas a mecânica do globo ocular precisa acompanhar essa velocidade e se expandir. Caso contrário, perdemos informações visuais preciosas e desempenho.

Em resumo, significa que sem treino adequado, precisaremos de mais tempo colocando a vista sobre as coisas que precisamos estudar ou trabalhar.

No caso do curso de memória fotográfica, a técnica geralmente é feita com imagens, símbolos, números, palavras e deve acompanhar muitos exercícios variados.

 

Mapas Mentais Visuais

como ter memoria eidética

Esses são exercícios que tornam possível você mapear mentalmente tudo o que leu, enxergou e até mesmo ouviu. Tudo de forma criativa e lúdica, pois assim se decora melhor!

Quem disse que memória visual não pode ser algo imaginado por você dentro dos olhos da sua mente também?

Aliás, essa é uma das formas mais eficientes de absorver conhecimentos. Os interpretando dentro dos arquivos da mente e utilizando da criatividade para torná-los marcantes.

Principalmente quando se quer decorar coisas rapidamente.

Aprender como estudar com memória fotográfica requer transformar imagens em mapa mental após os conhecimentos já estarem consolidados.

Assim nos recordamos mais agilmente!

Mas os profissionais também levam vantagem com essa técnica ao lidarem com conteúdos extensos e complexos para mantê-los bem memorizados.

Os mapas mentais são conhecidos por terem sido utilizados por Leonardo Da Vincci. Através deles, Da Vincci marcava conhecimentos extremamente complexos em pequenas gravuras.

Depois, para recuperar seus conhecimentos, bastava apenas lembrar das figuras que eram suas mini-obras e que trariam a tona todo o conhecimento incutido nelas quando precisasse.

Você conhece algumas músicas de cor não?

Algumas delas aparecem completinhas em sua mente, bastando ouvir o primeiro acorde, que toda a letra é desenrolada como num efeito em cadeia. E aparece tudo na ponta da língua não é verdade?

Isso significa que você tem o mapa sequencial auditivo dessa música na memória. E não importa em qual acorde, você sabe aonde a música parou na linha do tempo.

Pouco importa o formato de conhecimento que você queira compactar na memória. Eles podem ser visuais, auditivos ou como queira, mas todos podem ser mapeados e melhor organizado na sua memória.

 

Potencializar a Concentração e Foco

como ter memoria fotográfica

Na verdade, como pré-requisito para um bom curso de memória fotográfica, a concentração e foco devem ser destacados. Por isso que falamos sobre a nossa atenção logo a princípio.

A concentração e o foco são aspectos diferentes da nossa atenção e tem um papel crucial em torno da performance da memória eidética.

O treinamento que você se dispuser a realizar deve conter bons exercícios de neuróbica sobre a sua atenção. Talvez essa seja a natureza de qualquer treinamento de performance, mas, ainda assim, é preciso ter atenção aqui.

Claro que, dependendo do curso, isso pode ser oferecido de formas diferentes. Mas é a única maneira conhecida pela neurociência para promover a plasticidade cerebral.

Sim, nosso cérebro tem potencial de se desenvolver mais e melhor em nível de performance a cada aprendizado.

No caso, ao aprender como ter memória fotográfica, é preciso aprender a melhor forma de dar ignição a nossa mente. Isso só é possível através de concentração e foco.

Ambas criam uma sinergia enorme da nossa mente com nosso objeto de memorização. Para não dizer que isso está muito além da nossa performance de memória como você deve imaginar.

Alguma vez você já pensou poder usar a memória para estudar menos tempo que os demais e ainda assim conseguir assimilar o conteúdo com mais qualidade?

Não sei se você já compreendeu como ter uma memória fotográfica com essa simples explicação. Mas ela exige treinamento de outros pontos além da memória eidética.

Ela é uma questão de esforço sobre o melhor uso dos recursos da nossa mente, mas com foco, a percepção do esforço se converte em desempenho e prazer.

 

Carga Horária, Teoria e Prática

como ter boa memória visual

Você também deve prestar atenção aos cursos que parecem bons por apresentarem uma carga horária excessiva.

Não é assim que se avalia esse tipo de treinamento!

Um bom curso de memória fotográfica possui sim muito conteúdo para ser estudado e aprendido. Mas desde o princípio é bom você saber que tudo é mais baseado na prática do que em teoria.

É comum os instrutores usarem muitas horas ensinando técnicas manjadas. Tudo a fim de confundir carga horária com conteúdo.

Na verdade, um bom treinamento para a memória eidética requer algo em torno de 2 a 3 dias para se concluir. Enquanto a prática é para uma vida inteira de treinamento.

Sim, o treinamento da memória eidética é infinito e se acostume com essa ideia!

Os cursos presenciais dificilmente passam de 4 horas teóricas pois podem ficar bem cansativos para um dia só. Mas ainda existem grupos que trabalham com o desenvolvimento humano e trazem o conteúdo na integra.

É uma boa ideia verificar o conteúdo programático do curso e entrar em contato com a escola que o fornece para sanar essas dúvidas.

E como dito antes, até mesmo alguns treinamentos online podem ser um bom caminho para experimentá-los e ainda ter sua grana de volta.

Busque entender o que exatamente está sendo oferecido no curso de memorização.

Considere as dicas que estamos dispondo nesse artigo e verifique ainda se o cronograma é congruente com o que o curso promete.

O mais importante no cronograma de um curso ensinando como ter uma memória fotográfica é saber se existe organização planejada para que tudo ocorra progressivamente.

Na hora de ensinar os métodos é necessário um instrutor dedicado a treinar sem enrolar. E teorias não são o assunto mais importante para ter uma memória eidética treinada, lembre-se disso!

 

Os Mnemônicos Ensinados

Uma outra oportunidade para avaliar se um curso de memorização fotográfica é bom ou ruim, é avaliar as técnicas utilizadas para ensinar.

Vale lembrar que a memorização visual é praticamente uma arte milenar. Os gregos antigos e até mesmo os egípcios utilizavam algumas técnicas como os mapas mentais já mencionados aqui.

Todo o bom curso de memorização precisa ter fundamentos. E reunir de fato todas as técnicas de memorização que hoje são tão restritas.

Os truques da mente mais famosas são ensinadas apenas em treinamento e são mantidas somente por poucas pessoas que as disseminam.

O Aprimore Sua Mente faz sua parte para popularizar eles, mas certas técnicas só podem ser aprendidas pela prática de exercícios dentro de treinamentos.

Essas são as únicas formas de serem levadas a diante.

Já pensou como esse tipo de conhecimento é importante e deveria estar em nossa educação básica?

Sem dúvidas seriamos pessoas muito mais preparadas e treinadas para aprender.

Uma pesquisa mostrou que as pessoas que possuem uma grande memória diferenciada da maioria da população, como os atletas de memorização, não possuem um cérebro diferente. O modo de usar o cérebro é que muda e o transforma.

O que existe na verdade é um conjunto de táticas para conseguir ajudar o cérebro a utilizar melhor a memória semântica. Algo construído pela memória de trabalho já comentada por aqui.

As técnicas de memorização utilizadas para aproveitar a memória eidética requerem treinamentos prévios para funcionarem, enquanto o tempo torna nossa memória veloz e mais preparada.

 

A Verdade Sobre a Memória Fotográfica

Existe muito ceticismo sobre a memória fotográfica e uma das coisas que contribuem para isso é a existência de mitos escandalosos a respeito dessa prática.

Por exemplo, na afirmação que o praticante não depende das técnicas mnemônicas. Ou seja, da memória persistir em alto nível de detalhes sem usar técnicas de memorização, o que evidentemente não existe.

Outros ceticismos também se baseiam na suspeita de que a memória eidética real não existe, ou por outro lado, que ela não pode ser aprendida por ser um dom natural.

Mas como já explicado aqui, de fato a temos, em maior ou menos grau de performance. No entanto, tudo dependendo de um treinamento correto.

A hipertimésia, uma síndrome da memória bem retratado, é uma condição daqueles que já nascem com extrema capacidade de lembrar fatos notáveis de suas vidas em altíssimo nível de detalhe.

Isso parece bom, mas, na verdade, as pessoas com essa síndrome tendem a sofrer depressão, atormentados por lembranças muito vivas e incomodando suas mentes.

Por isso existe muita confusão e preconceitos sobre a real capacidade de aprender a memória fotográfica, uma vez que ela pode ser fruto de uma anomalia cerebral.

Existem rigorosas pesquisas científicas para definir quem naturalmente possui essa anomalia. No entanto, elas ainda não esclarecem se podemos treinar o cérebro a ponto de alcançar tal nível de detalhes visuais.

Mas existe uma grande verdade que causa ceticismo. O fato de que a maioria dos cursos de memória fotográfica não ensinam a milenar técnica para aprimorar a memória eidética.

Aquelas aprendidas e ensinadas pelos grandes filósofos da humanidade enquanto estavam nas suas ágoras.

Por isso, ao avaliar se você está adquirindo um bom curso de memória fotográfica ou não, esteja atento aos pontos que mencionamos por aqui.

 

Conclusão

Logo a princípio, espero que tenha se livrado de ceticismos e esclarecido um pouco mais sobre as diferenças entre memória fotográfica e memória eidética.

Assim, você terá maiores chances de sucesso nesse que é um verdadeiro investimento em desenvolvimento pessoal para uma vida inteira.

E lembre-se desses pontos ao avaliar um curso de memória fotográfica:

  • O que o curso realmente oferta?
  • Existe aprovação do público? (Pessoas que fizeram e comprovaram a eficácia?)
  • Existe alguma reputação da escola ou instrutor que ministrará esse curso?
  •  Quais as características do curso? Carga horária? Quais as técnicas?

Explicamos aqui os detalhe sobre os mitos e verdades que farão você conseguir identificar um bom curso de memorização fotográfica e como poderá ter uma memória eidética desenvolvida de verdade.

Ao fazer um bom curso de memorização, você se tornará parte do 1% da população capaz de adquirir altíssima performance pessoal.

Caso adote um método genuinamente eficaz, você passará também a usar o seu cérebro de um modo diferente que a grande maioria das pessoas.

Portanto, cabe a você decidir: fazer parte de um grupo seleto de pessoas em todo o mundo, ou continuar pensando e aprendendo como as massas?

como funciona um curso de memorização visualNo decorrer desse artigo, nós apresentamos algumas vantagens bem notáveis e que podem ser transformadoras.

Buscamos nos manter parciais sobre qual é o melhor curso de memória fotográfica que conhecemos. Mas ficou evidente no artigo aquele que é uma referência para nós.

Ao menos enquanto não surja outro melhor. E caso você conheça alguém mais competente, por favor entre em contato conosco para podermos avaliar.

Você acredita que esse artigo tem valor e pode esclarecer alguém buscando evolução pessoal?

Não deixe de compartilhar, o conhecer faz muita diferença!

Conheça os Reais Caminhos do Autodesenvolvimento

Ganhe um E-book Grátis e receba nossa serie de desenvolvimento pessoal para você superar os seus limites
Entre para a nossa LISTA VIP