Para alcançar resultados de vida é preciso vigilância para sempre manter o foco nos objetivos. Mas diante de impedimentos que podem surgir no caminho das realizações, somente a resiliência mental pode levá-lo a diante.

Quando traçamos objetivos eles parecem muito simples no papel. Mas ao colocar os planos em ação é que se iniciam provações da vida questionando o real valor que os objetivos têm para você.

“Focar nos objetivos de vida determina a direção dos recursos da mente para um único ponto. É nesse ponto que devemos nos concentrar para valer!”

Todas as pessoas algum momento emergem uma mentalidade realmente determinada para realizar as coisas. Talvez esse seja um caso que pode ter acontecido algumas vezes no seu desenvolvimento pessoal.

Nesses momentos, quantas vezes pareceu que a vida jogava seus planos ao chão, lhe fazendo pensar que tudo foi uma perda de tempo?

E quantas vezes o acaso parecia ser o real dono da situação, e que aquela sua bela ideia de poder criar seu próprio destino era um engano?

Talvez você tenha pensado que bastaria força de vontade para manter o foco. Então os desafios de percurso começaram a desiludir você, até que o foco se perdesse no meio do caminho.

Mas a grande verdade é que, sem ter resiliência emocional, não existe como manter o foco no objetivo sendo consistente com ele até o fim.

Por isso nessa leitura vamos conhecer conceitos que ensinam como ter foco nos objetivos de vida criando uma sinergia maior entre eles. Esse pode ser o maior aprendizado de como se tornar resiliente também, então leia até o fim.

 

A Falta de Resiliência Mental Para Alcançar Objetivos

Caso uma pessoa de sucesso visse outra pessoa reclamando e culpando terceiros pelos seus problemas, essa levaria um belo de um sermão.

Os dizeres típicos de alguém perdido nos objetivos são:

  • “Tudo o que eu faço dá errado por mais que eu me esforce.”
  • “Nada que faço fica bom e tudo foi uma perda de tempo.”
  • “A vida está conspirando contra mim independente dos meus méritos.”

Essas são claramente atitudes de alguém que não está com o foco e determinação na vida, e sim o desviando. Elas estão abraçando-se na esperança de que a vida lhes favoreça por um caminho idealizado pela troca do esforço.

É como se estivessem negociando com a vida e contando com o acaso. Dando protagonismo ao esforço, a oferenda de maior barganha já feita pelas pessoas na vida.

Claro que as coisas não funcionam assim.

Esse tipo de atitude denuncia a necessidade da inteligência emocional para continuar focando no objetivo. Pois a nossa resiliência desmorona rapidamente quando um objetivo não foi bem determinado.

O padrão mental das pessoas de sucesso não é nada parecido com o que vimos agora.

A história está repleta de biografias de homens que só obtiveram sucesso por terem resiliência, ou seja, por estarem preparados psicologicamente para imprevistos e mantendo sempre a mesma determinação inicial.

Talvez você conheça essas histórias, elas podem vir da sua família, seus avós, pais, outros parentes e até amigos.

Eles enxergavam o que outros não viam pois tinham o foco correto, que lhes davam a fina percepção do valor contido em seus objetivos. E tinham uma mente condicionada acima de tudo.

A mentalidade de crescimento lhes faziam sentir que falhas eram fortalecedoras e não destruidoras. Que a derrota era sim uma pedra, mas sobre o foco adequado, ela tornava-se em degrau, nunca obstáculo.

 

Focar Objetivos Requer Inteligencia Emocional

O foco é um processo cognitivo consciente sobre a qualidade da nossa atenção e funciona quando estamos concentrados sobre qualquer coisa que realizamos.

O objeto de foco pode ser uma tarefa comum como pensar, refletir ou simplesmente sentir. E pode dar contornos a todas as nossas ações quando elas são determinadas pela nossa mente.

“É o que ocorre quando choramos por tristeza. Ela significa que estamos dando foco para emoções tristes. Para não dizer que, quanto mais tristes estamos, mais foco sobre a tristeza estamos determinando em nossa mente.”

Esse não é o melhor momento para falarmos da tristeza, mas ela serve como exemplo para tratarmos do mundo das emoções, principalmente quando eles são alvos do nosso foco.

Pois pensamentos geram emoções que refletem além do nosso físico quando escorrem lágrimas tristes. Os pensamentos realmente tem poder, sobretudo quando nos despertam as emoções desejadas.

A falta de resiliência para atingir objetivos de vida não existe por motivos diferentes.

Ela também ocorre quando temos a dificuldade de concentração tão comum sobre aqueles objetivos que não nos atraem tanto emocionalmente.

Simplesmente desviamos o foco pois declaramos menor valor emocional àquele objetivo, em detrimento de outra prioridade, identificada como objetivo de maior valor.

Esses são efeitos da nossa inteligência emocional, que corresponde ao nosso autocontrole para lidarmos com o foco que desejamos ter sobre nossos objetivos mais sinceros.

Essa perspectiva da inteligência é também o que pode tornar uma pessoa obstinada na direção de seus propósitos de vida como você deve imaginar.

Para deixar isso mais claro, assista esse vídeo do Paulo Vieira, autor do livro best sellerO Poder da Ação e presidente da FEBRACIS:

Porque o Foco Também é Inteligencia Emocional

 

Manter O Foco nos Objetivos é Uma Garantia de Resiliência

Apenas nos mobilizamos emocionalmente pelos objetivos na medida do foco dado a eles. Na mesma proporção, quanto maior o foco nos objetivos, maior a resiliência mental para alcança-los.

Já percebeu que evitar ter distração dos objetivos e conseguir atingir metas é questão de esforço mental?

Por isso o foco é tão imprescindível para alcançar objetivos. Ele pode nos ligar emocionalmente e possibilita a autonomia necessária para cumprirmos objetivos sem procrastinação ou fuga.

Ele pode não somente nos garantir resiliência emocional, mas também nos manter empenhados, nos fazer sentir prazer para seguir adiante e aumentar a produtividade em tudo que fazemos.

“Muitas vezes ter um forte objetivo de foco pode enganar a sensação de cansaço e dificuldade, assim como nos levar a superestimar a sensação de realização.”

Isso acontece quando realizamos tarefas prazerosas já percebeu?

Ocorre quando estamos completamente focados nas coisas e quando nem sentimos o tempo passar também.

Essa dinâmica da inteligência emocional sobre nossos objetos de foco é geralmente percebido:

  • Ao assistir a um filme muito empolgante.
  • Em um jogo que nos deixa compenetrados.
  • Torcer para nosso time em um desafio importante.
  • Conversar com amigos que tínhamos saudades.

Quando temos um objeto de foco em destaque, mantemos essa ligação emocional a certo nível. O sentimos como um objetivo maior do que qualquer simples compromisso.

Foco nos Objetivos de vida e resiliênciaMas ao mesmo tempo que o foco é uma qualidade excepcional da nossa atenção, ele também é limitado.

Em média, só conseguimos manter essa sinergia com nosso objeto de foco por certa de 40 minutos consecutivos. Por isso intervalos são tão importantes entre as nossas tarefas.

Da mesma forma, não é todo o momento do dia que seremos resilientes. E por esses motivos, aprender como ter foco nos objetivos é uma questão de administrar a nossa energia pessoal também.

 

A Importância De Administrar O Foco

Agora que você já conhece como o foco funciona, talvez fique mais fácil compreender porque muitas pessoas falham e outras tem sucesso com mais facilidade.

Como o foco é limitado e a resiliência mental e força de vontade são recursos esgotáveis, é preciso saber administrar essas energias. É preciso utilizar elas apenas nas ações corretas, de forma objetiva e em tarefas de real prioridade.

Compreender isso talvez reforce a importância que tem a agenda e calendário para se organizar na vida, mas não é somente isso!

É preciso compreender que traçar metas para nossos objetivos é essencial, pois são eles que administram essas energias ao longo do tempo. E que são sobre as metas que todos os recursos do nosso foco devem ser direcionados.

“Estabelecer metas é o primeiro passo para transformar o invisível em visível.” -Tony Robbins

Criar metas é uma forma de administrar objetivos, e executá-las, garante superação pessoal. Elas trazem efeitos psicológicos para a automotivação e autodeterminação também, pois dão significado consciente para nossas ações.

Traçar metas é planejar ações para nós mesmos com sucesso. Ela se resume em nos guiar nas ações corretas, no tempo correto e da forma correta para atingir objetivos.

Mas as metas também requerem algumas considerações importantes antes de serem traçadas por você. Vamos conhecer algumas regras para elas funcionarem adequadamente.

 

As Regras Da Psicologia Para Atingir Metas

Antes de estabelecer seus planos de vida para atingir objetivos, é importante conhecer algumas regras que tornam metas realizáveis segundo a psicologia.

Segundo o psicólogo e Ph.D Frank L. Smoll da Universidade de Washington, existem 3 características essenciais para o estabelecimento de metas e elas devem ser:

  • Realizáveis
  • Acreditáveis
  • Comprometíveis

Dessa forma muito simples, temos metas que podem ser efetivamente concluídas. E esse modelo ficou conhecido como o ABC das Metas.

O estabelecimento de metas como uma ferramenta psicológica foi desenvolvida na verdade por George T. Doran em 1981, que é de longe a mais popular proposição da psicologia sobre objetivos que temos hoje.

Desde então o modelo se aperfeiçoou, até chegar nas mãos de Cecil Alec Mace, a primeira pessoa a fazer estudos empíricos sobre a definição de objetivos.

Ela enfatizou a importância da vontade, que se traduz também na resiliência sendo tratada aqui para que as metas e objetivos tenham sucesso.

Dessa forma, o estabelecimento de metas para alcançar objetivos ficou ligada a resultados da alta motivação, autoestima, autoconfiança e autonomia do indivíduo ao perseguir sua autorrealização.

Com a conclusão das pesquisas, ficou demonstrada a forte conexão entre metas e o sucesso pessoal. A partir desses conhecimentos, surgiram 7 regras ou critérios para que as metas atinjam objetivos segundo a psicologia.

As metas devem ser:

  • Especificas
  • Mensuráveis
  • Atingíveis/Realizáveis
  • Realistas
  • Demarcáveis por tempo
  • Avaliativas de forma ética e moral
  • Recompensadoras

E essas são as grandes referências que nos demonstram como traçar metas para atingir objetivos. E por isso, são esses os tipos de metas que devem estar no radar ao utilizar o seu foco também.

São assim que empresas desenvolvem equipes, treinadores aperfeiçoam atletas e coaches trabalham sobre a produtividade dentro do desenvolvimento pessoal e profissional também.

 

A Neurociência Por Trás Das Nossas Metas

A neurociência avalia os efeitos trazidos pelas metas de outra forma. E essas explicações são importantes para compreender a importância que elas têm quando sobre efeito do foco.

  • A nossa mente ao focar metas em prol de objetivos, aumenta a pressão arterial sistólica(PBS), nos fazendo agir mais rapidamente.
  • Quando a meta é complicada, mas realizável, o PBS tem um pico aprimorado, aumentando nosso engajamento para agir e alcançá-la.
  • Mas aqueles que são impossíveis, desafiadores ou que questionam nossas habilidades, estão ligados a baixos impulsos sistólicos e não tomamos ações imediatas.

Por esse motivo utilizar da inteligência emocional para acreditar que é possível progredir e se superar é importante. Assim, manter o foco no objetivo é facilitado, e claro, esse efeito torna você mais resiliente diante de desafios.

Muitos estudos mostram como as nossas conexões neurais se arranjam e como os estímulos e a motivação ocorrem em nosso cérebro ao agirmos.

O córtex pré-frontal medial(CPFM) é a região responsável pela orientação do cérebro ao planejar e tomar decisões. A ativação dele simboliza nosso pensar sobre o que precisamos fazer em prol dos objetivos.

Caso o objetivo esteja muito distante ou muito orientado ao futuro, a ativação do CPFM diminui substancialmente. Por isso perdemos o interesse em nossos objetivos ou então desistimos da maneira como queremos alcançá-los.

E esse é outro motivo para as metas existirem, pois a recompensa das conquistas sobre metas não ficam distantes do presente e mantêm o objetivo final sempre no seu radar.

Dessa forma, os efeitos neuroquímicos subjacentes, sobretudo da dopamina – o neurotransmissor da recompensa e das emoções, vive presente em todo o caminho que foi planejado por você.

 

3 Estratégias de Foco Para Atingir Objetivos

 

planos em diagrama para atingir objetivosAgora que já temos elementos reunidos e ensinando como manter o foco nos objetivos, é possível conhecermos algumas estratégias de organização para cumprir as metas com maior consistência.

“Quem define metas vê as possibilidades futuras e o cenário geral.” -Rick McDaniel

Para elas funcionarem, leve alguns pontos vistos aqui em consideração:

  • Para tudo dar certo, cumpra os requisitos necessários e já apresentados por aqui para estipular as suas metas. As regras da psicologia são o seu compromisso primário para tornar objetivos realizáveis.
  • Leve em consideração a sua inteligência emocional para focar cada meta objetivamente, até cumprir uma por uma delas. Esse efeito existe ao identificar o valor real do objetivo e a importância de cada meta no seu processo.
  • Ter autoconhecimento é importante para não desviar o foco e ser resiliente. Reconheça como você se comportará diante de imprevistos ou novas oportunidades diferentes surgirem.

Vamos então conhecer 3 estratégias que envolvem muitos dos conceitos que vimos até agora:

 

1 – Dividir Para Conquistar

Dividir o percurso que levará a seu objetivo final em tarefas menores é muito mais inteligente. Então encare cada pequena tarefa como uma meta, utilize seu foco separadamente a cada uma delas e não desvie até que as termine.

Uma meta sem um plano é somente um desejo!

Ao dividir um trabalho em tarefas pequenas, você consegue compreender mais claramente o percurso a ser feito e focar no que precisa ser realizado com mais simplicidade.

Também é possível enxergar os recursos necessários para alcançar certos objetivos com mais clareza, pois eles podem ser percebidos em separado, a cada estágio que você planeja.

Ao dividir seu trabalho em tarefas menores, você também tem maior visão sobre os imprevistos e qual tipo de mentalidade deverá ter caso eles apareçam. Isso garantirá maior resiliência mental em muitas situações.

Esse método é igualmente inteligente para criar um plano de contingência, para lidar com possíveis falhas, ou até mesmo prever elas em cada etapa a ser percorrida.

 

2 – Diminua sua Lista

Objetivos são muito bons, é por eles que devemos nos mobilizar sempre. Mas para obter foco nos objetivos não é interessante pular em uma montanha deles de uma só vez.

É questão de administrar sua energia, e a essa altura, você já compreendeu bem porque deve ter apenas um objetivo para focar de cada vez, afinal, não somos multitarefas.

A inteligência emocional também entra aqui, pois é impossível namorar mais de 1 pessoa de cada vez com igual dedicação não concorda?

Por isso, crie uma lista de metas ordenada por prioridades e dificuldades para atingir seu objetivo. Execute elas por ordem de importância e dependência entre si.

Comece a tomar a sopa pelas bordas do prato, pois caso inicie a devorando pelo centro, ela certamente queimará você!

Muitas vezes um mapa mental ou um diagrama bem-feito podem ajudar você nessa organização. Eles podem descomplicar todo o processo de montagem de um cronograma de execução e existem inúmeras ferramentas gratuitas para isso.

Seja seletivo e objetivo no que for fazer. Crie metas com significados, os perceba pelas funções que tem, dessa forma, você terá uma visão melhorada que pode até mesmo diminuir sua lista.

Esse senso de organização vai contra os costumes dos mais ansiosos que desejam partir logo para a ação. Mas vale lembrar que o planejamento é o caminho mais confiável e assertivo para alcançar grandes objetivos com considerável menos esforço.

 

3 – Visualize Antes de Agir

É interessante fazer um exercício de mentalização prévio e que possa ajudar você a manter o foco e concentração necessários na hora de enfrentar problemas. E talvez fazer uma tela mental seja uma das maiores ferramentas para treinar o seu foco.

Sempre antes de executar metas, você deve compreender bem porque as criou e ter clareza se elas serão realmente úteis para atingir determinado objetivo.

Terminada sua organização, use um pouco da sua imaginação e simplesmente visualize antes de agir!

Nosso cérebro reage muito rapidamente quando visualizamos previamente as coisas sendo realizadas em nossa mente. Portanto, crie em uma tela mental a execução das metas que serão seus novos objetos de foco.

Qual o resultado disso?

Bem, você simplesmente está preparando o uso do seu foco sobre tal tarefa, e acredite, isso cria um atalho na sua mente para o momento de agir na direção dela.

Outra dica é criar um painel com gravuras e colar na parede do seu quarto.

Preencha seu painel com figuras relacionadas ao seu objetivo, faça uma para cada tarefa que pensar ser desafiadora e descreva a importância delas para estarem sempre vivas em sua mente.

Só a tarefa de criar um pôster com fotos do que você deseja realizar já requer algum engajamento por parte da sua mente. Isso funciona psicologicamente e surte efeitos positivos sobre o uso do seu foco.

 

Conclusão

Foco nos Objetivos

A nossa mente não costuma desistir facilmente de tarefas que ela já tenha despendido algum esforço para cumprir. Caso isso ocorra, será por forças contrárias que você mesmo produziu.

Por isso é importante sempre ter uma boa dose de prazer ao realizar tarefas e vigilância do que sente ao trabalhar por elas.

Comemorar pequenas conquistas são um alimento que pode lhe colocar em um ciclo virtuoso e realmente lhe manter sempre engajado no percurso que criou previamente.

Existem inúmeros exercícios de foco que podem manter uma pessoa mais tempo concentrada e produtiva em suas tarefas.

Aprimorar a habilidade de foco sobre objetivos é importante, além de muito mais fácil para alcançá-los. Mas sem sentimentos reais pelo seu objetivo final, será difícil ter resiliência e sustentar seu compromisso até o final.

Isso se traduz em inteligência emocional!

Por isso reveja suas metas as vezes, não se importe de corrigir eventuais problemas de planejamento. Entenda bem porque as criou e qual objetivo pretendia com elas.

Isso lhe coloca em uma direção consistente e com poucas chances de erros, além de evitar que caia na armadilha de pensamentos limitantes e procrastinação.

Você terá erros no caminho, mas tenha clareza sobre eles e utilize qualquer aprendizado a seu favor, sabendo ter a mentalidade correta para enfrentar quaisquer desafios.

Conheça os Reais Caminhos do Autodesenvolvimento

Ganhe um E-book Grátis e receba nossa serie de desenvolvimento pessoal para você superar os seus limites
Entre para a nossa LISTA VIP