Inscreva-se na nossa LISTA VIP

E Ganhe Nosso E-Book
GRÁTIS !

🔒  Somos contra SPAM

Armazenar a memória de curto prazo é uma das atividades mais importantes do cérebro. Podemos dizer que essa é nossa capacidade de registrar, manter e operar informações instantaneamente.

Na prática, é através dela que conseguimos compreender qualquer coisa, já que a memória de curto prazo guarda as informações utilizadas pela nossa memória de trabalho. Que por sua vez, faz o processo cognitivo para assimilarmos tudo em nosso redor.

Claro que você entenderá isso melhor hoje, mas como já deu para perceber, sem essa função de armazenar e processar informações, seria impossível realizarmos boa parte da nossa rotina diária.

Por se tratar de um tema tão importante, vamos explorar esses conhecimentos interessantes sobre a memória e que todos certamente deveriam conhecer.

Mais especificamente, você vai entender um pouco mais sobre a sua memória de curto prazo, a chamada memória de curta duração.

E até o final dessa leitura, conhecerá 3 exemplos de habilidades dela, os fatores que interferem em seu desempenho e ainda entenderá como aprimorá-la ainda mais.

 

O Que é Memória de Curto Prazo?

como aprimorar a Memória de Curto Prazo

A memória de curto prazo é um armazenamento provisório de informações no cérebro para a realização de nossos processos cognitivos.

Essa memória de curta duração é considerada a nossa memória primária, ela envolve o armazenamento e processamento de informações instantâneas. Função exercida no córtex pré frontal, mais especificamente no giro frontal inferior do cérebro.

São considerados exemplos de memória de curto prazo:

A Memória sensorial – os estímulos dos nossos 5 sentidos, que representam as informações a serem processadas em nosso cérebro

Memória temporária – o próprio armazenamento de informações da memória de curto prazo quando são alvos de nossa atenção consciente

E Memória de trabalho – a função executiva das informações contidas em nossa memória de curto prazo. Ela também é considerada integrante da memória de longo prazo

O estudo da memória não é algo tão novo assim, no entanto, faz pouco tempo que passamos a entender melhor como ela funciona, e tudo graças à tecnologia de neuroimagem funcional da memória.

Hoje existem inúmeros estudiosos e cientistas que se dedicam a esse campo. Mas ainda não existe consenso entre as definições e conclusões do funcionamento da memória humana segundo a neurociência.

Pelo mesmo motivo  existem várias maneiras de classificar memórias de curto prazo desenvolvidas ao longo dos anos. Algumas unem funções especificam ou as separam como foi ensinado aqui.

A memória de curto prazo pode receber vários nomes distintos também, como por exemplo, memória operante, memória de trabalho, memória de curta duração ou até mesmo memória recente em algumas literaturas

 

Como Funciona A Memória de Curto Prazo?

A memória humana não é uma área específica do cérebro como muitos imaginam. Ela é uma função cerebral que ocorre em inúmeras regiões diferentes que se comunicam por toda a nossa rede neural.

Algumas são responsáveis por órgãos, nossos sentidos e funções das mais distintas. Mas a memória de curto prazo funciona como um escalonador de muitos processos que fazemos conscientemente.

Qualquer memória segue um processo para que se consolide algum momento, e muito disso se liga a qualidade da atenção sobre o que percebemos em nossa volta através dos nossos próprios sentidos.

Esse é o início de todas as memórias e o mais curto de todos também, acontecendo em nossa memória sensorial. Ela é representada pelos impulsos elétricos recebidos pelos órgãos de nossos sentidos e dura milésimos de segundos.

Por ser muito rápida e dinâmica, apenas aqueles impulsos que são objetos de nossa atenção recebem um tratamento mais adequado, passando assim para a nossa memória de curto prazo.

Uma das funções dessa memória de curta duração é executiva e funciona como um gerenciador para manipular as informações. Essa é a memória de trabalho, que representa o processo ativo da nossa memória de curto prazo.

Através desse processo cognitivo que é decidido qual será o destino das informações em nosso cérebro. E tudo depende dos processos executivos e tomadas de decisões feitos em nosso córtex pré-frontal.

Finalizando eles, podemos assim definir se as memórias provisoriamente gravadas serão descartadas ou então passadas para a nossa memória de longo prazo, ficando então disponíveis e mais duráveis para quando as requisitarmos.

Quando requisitamos essas informações novamente, elas retornam para a nossa memória de curto prazo. Que é uma memória imediata, gerenciando e processando tudo o que memorizamos ou recordamos.

Leia também → Memória Humana: Como As Criamos, Lembramos e Esquecemos?

 

As Limitações da Memória de Curta Duração

Há outro detalhe importante que é preciso destacar sobre a memória de curto prazo, ela tem capacidade limitada. Diferente da memória de longo prazo, a qual acredita-se ter capacidade realmente ilimitada.

Assista ao vídeo abaixo que explica melhor sobre essa nossa memória operacional, seus limites e capacidades:

O Que é Memória Operacional, Seus Limites e Capacidades

Em relação à quantidade de informação de curto prazo, ela é capaz de armazenar geralmente 7 itens, podendo variar de 5 a 9 itens dependendo do modo que trabalhamos sobre ela.

Esse dado foi constatado por muitas pesquisas diferentes envolvendo elementos também diferentes como palavras, números, letras e etc.

E deu origem a um dos estudos sobre memória mais citados no mundo todo, o “The Magical Number Seven, Plus or Minus Two” que traduzindo para o nosso português seria “O Magico Número Sete, Mais ou Menos Dois” Que explica esse conceito.

Mas é claro que isso também pode variar dependendo de outros fatores como:

  • Afinidade pessoal com os dados memorizados
    .
  • O treino dado à memória de curta duração
    .
  • Complexidade dos elementos a memorizar
    .
  • Como os relacionamos a outros estímulos e memórias
    .
  • A forma que os organizamos como hierarquia, conjuntos e etc
    .

Geralmente damos sentidos para tudo o que entra em nossa mente, e isso realmente influencia a manipulação das informações nessa memória recente.

Quanto à duração, a capacidade da memória de curto prazo também é limitada.

“Embora diferentes pesquisas apontem para resultados distintos quanto a essa duração, acredita-se que a memória de trabalho possa durar de 30 segundos a alguns minutos.”

 

Como Diminuir Limitações Da Memória De Curto Prazo?

A boa notícia é que para ambos os casos, tanto na capacidade quanto duração da memória de curto prazo, podemos mitigar as suas limitações.

Por exemplo, ao repetir os elementos de memorização, é possível ordenar uma quantidade um pouco maior deles.

Entre outras formas que podem melhorar a memória de trabalho e modificar como ela trabalhará nossa memória de curta duração.

A primeira prática é o que muitos usam para decorar números de telefone por exemplo. Acabamos os reforçando em nossa mente pelo número repetitivo de processos ocorrendo na memória de curto prazo.

Esse é o famoso truque da “decoreba” utilizado por muitos, e começa a dar certo “quase que por osmose” pelos acessos persistentes de informações temporárias.

Claramente elas se mantêm mais tempo na sua mente, ao menos suficiente para buscar um papel e caneta para anotar o telefone.

“Quando as informações são executadas em nossa memória de trabalho, podemos até as transmitir “por força bruta” para a nossa memória de longo prazo.”

É uma das formas para memorizar mais utilizadas no cotidiano, no entanto, despende de muito tempo, esforço e pode ser pouco estimulante para decorar. Uma técnica não aconselhável em todo o caso!

“Algumas técnicas como a de associar elementos da memória curta em grupos, de forma hierárquica ou relacional com memórias já consolidadas pode ajudar muito melhor nessa limitação de retenção.”

Entre o primeiro e o segundo método, certamente seu cérebro memorizará mais facilmente pelo segundo, pois de fato aprenderá!

Nosso mente torna uma informação mais viva na memória quanto mais a manipulamos e relacionamos com outros conhecimentos obtidos. Isso possibilita a retenção e acesso mais fácil.

O epicentro de todo esse processo de memorização está na memória de curto prazo, por isso ter treino sobre ela é tão importante. Algo que ainda apresentaremos a seguir.

 

Os Exemplos e Habilidades Da Memória de Curto Prazo

A memória de curto prazo nos permite manipular mentalmente diversas informações conjuntas. E seus exemplos podem englobar muitas habilidades e capacidades humanas diferentes.

Essas habilidades nos possibilitam resolver problemas complexos como:

  • Compreender
    .
  • Aprender
    .
  • Comparar
    .
  • Refletir
    .
  • Imaginar
    .
  • Julgar
    .
  • Decidir
    .
  • Calcular e etc.
    .

Pois é ela também que “traz à superfície” os diversos conhecimentos e informações armazenados na memória semântica, para que possamos resolver inúmeras tarefas já previamente aprendidas.

“Com a memória de curto prazo em uso, conseguimos compreender textos longos e todo seu significado até o final, por exemplo, ao nos depararmos com uma leitura com 5 frases.”

Apesar de ser uma memória de curta duração, ela nos permite lembrar a síntese da primeira frase enquanto não conhecemos a última, para finalmente juntarmos as sentenças completas da leitura.

Nesse caso, por mais que não nos lembremos com exatidão da primeira frase, conseguimos compreender o sentido geral do texto.

Ela na prática não só nos permite aprender novos conhecimentos, mas também associar os novos com outros já consolidados em nossa memória de longo prazo. O que faz parte essencial da expansão da nossa rede neural.

“Por causa desses efeitos a memória de curto prazo também é chamada de memória de trabalho. Pois a partir dela podemos manipular informações em nossa mente.”

Hoje também é comum que alguns estudiosos procurem entender partes menores desses processos. E, abaixo, você vai conhecer três habilidades cognitivas da memória de curto prazo que todos deveriam conhecer também.

 

1. Memória Visual De Curto Prazo

ilustração da memória visual de curto prazo

Uma das habilidades da memória de curto prazo é a memória visual a curto prazo.

Ela não deve ser confundida com a memória eidética e memória fotográfica, pois apesar da ligação, não é exatamente sobre essa habilidade que vamos falar.

A memória visual a curto prazo é feita pelo lobo occipital combinando funções do córtex visual primário e lobo parietal.

“Essa memória consiste na capacidade de conseguir reter certa quantidade de informação visual por um pequeno período de tempo até ser reconhecida e interpretada.”

Alguns exemplos de memória visual são:

  • Letras e grafias
    .
  • Símbolos e seus análogos
    .
  • Formatos, tamanhos e volumes
    .
  • Cores, claridade, profundidade e etc.
    .

É essa habilidade que nos permite, por exemplo, ler e compreender uma escrita instantaneamente. Já que vendo a grafia e sua informação visual, resgatamos agilmente suas representações para serem processadas pela memória de trabalho.

Outro bom exemplo de como a memória visual de curto prazo funciona ocorre ao dirigirmos. Pois ela nos permite gerenciar as diversas informações visuais a nossa volta.

Isso nos dá, ao mesmo tempo, a compreensão dos sinais de trânsito, do movimento físico dos pedestres, as posições deles e dos carros à nossa volta. E nos ajuda a dirigir ou passear com mais segurança.

“Mas aposto que se houverem mais que 7 coisas para se concentrar ao mesmo tempo, a sua mente passaria a ter dificuldades ou confusão para conduzir o carro. Então você certamente se obrigaria a diminuir a velocidade por puro instinto de segurança.”

 

2. Memória Auditiva De Curto Prazo

ilustração da memória auditiva de curto prazo

A memória auditiva de curto prazo corresponde à nossa habilidade de reter na memória alguma informação que foram ouvidas por um curto período de tempo.

A memória auditiva de curto prazo se encontra no córtex auditivo primário, e na prática, também é fácil encontrarmos diversos exemplos de como ela atua em nosso cotidiano.

É ela quem permite, por exemplo, que você se lembre de um nome que foi vocalizado por alguém. E a lembrança dessa memória auditiva será vívida como a original durante um pequeno período de tempo.

Caso você não repita o nome algumas vezes para forçar sua lembrança em curto prazo ou não relacione com algo para consolidar o conhecimento, essa memória será descartada rapidamente.

“É ela que nos permite lembrar o nome de uma pessoa que acabamos de conhecer. Ou ainda, que nos lembremos da voz de alguém ao associar com a fisionomia de determinada pessoa.”

Essa última é um trabalho que combina a memória visual e auditiva de curto prazo quando passam a ser manipuladas pela memória de trabalho para se transformarem em uma memória de longo prazo.

 

3. Memória Espacial De Curto Prazo

ilustração da memoria espacial

Outro exemplo de habilidade da memória de curto prazo é a memória espacial. Ela se encontra nos lobos temporais mediais circundantes.

É essa memória de curto prazo que nos permite reter as informações espaciais. Mais do que isso, ela relaciona a distância entre objetos e permite entendermos nossa localização e também pensar em duas ou três dimensões.

“Essa também é uma habilidade que nos permite realizar inúmeras tarefas cotidianas de locomoção. Como andarmos de um ponto a outro, estendermos os braços para alcançar qualquer objetos sem esbarrar neles, praticarmos esportes e etc.”

Normalmente a memória espacial é estudada em conjunto com a memória visual, o que se chama de componente visuoespacial da memória.

Quando dirigimos, por exemplo, essas duas habilidades trabalham de forma integrada.

Ao estacionar o carro entre outros dois, por exemplo, você precisará utilizar as duas já que, mais do que apenas enxergar a posição dos objetos, você precisará também fazer uso da memória espacial para estacionar sem bater nos outros carros.

No entanto, nossa percepção espacial também funciona quando não está associada à percepção visual. Um exemplo disso é ao realizar um percurso no escuro por conseguirmos reter as informações espaciais.

 

Fatores que Influenciam A Memória de Curto Prazo

habilidades cognitivas da memória

“A ciência já comprovou que existem diversos fatores que diminuem consideravelmente a capacidade da memória de curto prazo. Mas o que mais compromete seu desempenho geral está nas habilidades cognitivas da nossa memória de trabalho.”

Quando tratamos de memória de curto prazo, falamos sobre quantidade, mas quando tratamos da memória de trabalho, falamos da qualidade geral da memória, como um todo, que por fim refletirá nas memórias de longo prazo.

Isso ocorre porque todos os tipos de memória humana tem uma relação de interdependência entre essas três. E no processo de consolidação de qualquer memórias é preciso obrigatoriamente que elas passem por esse mesmo mecanismo.

Por causa disso é simples também reconhecermos os fatores mais prejudiciais para o funcionamento geral da memória. Mas existem aquelas que partem logo pela nossa memória primária e merecem certa atenção.

Veja abaixo o que mais influência negativamente o uso da memória de curto prazo:

 

Estresse

O estresse é um dos fatores que interfere diretamente na capacidade de nossa memória de curto prazo.

Num estudo realizado na Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, comprovou-se que uma grande carga de estresse rompe o looping da memória de curto prazo.

“Isso faz com que as informações que estavam sendo mantidas nela sejam descartadas antes do que deveriam, o que impede as outras fases da memorização.”

Esse fato causa falha de desempenho da memória de trabalho, que é muito retratada por especialistas e vivido por muitos profissionais sobrecarregados de informações.

Seus efeitos claramente geram extremo desconforto pessoal, afetando além de tudo o bem-estar e desempenho de inúmeras outras capacidades cognitivas.

 

Distrações

Outro estudo realizado na Simon Fraser University, no Canadá, comprovou que as diferenças na capacidade pessoal da memória de curta duração estão relacionadas também à capacidade pessoal de ignorar as distrações.

Ou seja, quanto maior a capacidade pessoal de ignorar distrações ao redor, melhor é o desempenho da sua memória de curto prazo. Isso está ligado ao potencial de concentração e foco que damos em nossas tarefas.

A todo o momento estamos em certo nível concentrados em objetos, sons e sensações. E dependendo da qualidade de atenção que dermos aos pontos corretos, melhor nosso desempenho sobre eles.

“A capacidade de estarmos em sinergia com determinada tarefa e a atenção ao trabalharmos sobre ela é reconhecida não somente para a performance da memória mas para qualquer habilidade humana.”

Estar distraído simplesmente polui a mente, aloca capacidade da memória de curta duração para se ocupar com elementos que não deveriam estar contidos nela em determinado momento.

 

A Química Errada

Como todos sabem, o nosso cérebro precisa de uma certa química perfeita para trabalhar adequadamente. E tudo é química para ele, sejam sentimentos, a alimentação e até os de outras partes do corpo.

O sistema nervoso central em nosso cérebro interliga inúmeros órgãos, envolve-se com inúmeros receptores, hormônios e todos os sinais que nos estimulam por bioquímica.

“Esses sinais são como códigos ordenados que apontam urgências e prioridades para o organismo, mas quando desequilibrados, nos inibem em outras funções.”

Entre essas funções estão a de memorizar, compreender e até de se perturbar e cometer comportamos inadequados.

Bem, dito isso, alguns problemas bioquímicos são evidentes por trazerem um mal desempenho da memória de curto prazo e são eles:

  • Deficit de minerais e vitaminas, principalmente a B-12
    .
  • Problemas da flora intestinal e no microbioma humano
    .
  • Alterações químicas feitas por drogas como álcool
    .
  • Sono inadequado entre outros.
    .

O nosso corpo é um laboratório e ter a química errada declina o potencial cognitivo rapidamente. Seja por falta de água, açúcar ou qualquer efeito psicológico negativo como você já deve imaginar.

Como foi visto, a memória de curto prazo possui limitações quanto à sua duração e capacidade de trabalhar. No entanto, isso pode ser melhorado com o devido treinamento também.

 

Como Aprimorar a Memória de Trabalho

Trabalhar e desenvolver as habilidades da memória é muito importante, tanto para trabalhar, estudar ou até mesmo em nossas relações interpessoais.

A memória de curto prazo desempenha um papel essencial no processo de aprendizagem e sobre como lidamos agilmente com as informações que raciocinamos a todo instante.

E claro que alguns atalhos como as técnicas de memorização podem até ajudar um bocado nesses momentos. E são certamente recomendados.

Mas algumas atividades em especial vão além dos atalhos da memorização e servem como verdadeiros exercícios que podem fortalecer a memória de trabalho ao passar do tempo.

Elas podem levar ao aprimoramento pessoal e resultar bom desempenho na forma que lidamos com números, nomes, conhecimentos, velocidade de raciocínio e etc.

Por isso, separamos abaixo alguns exercícios básicos para melhorar essas habilidades cognitivas da memória de curto prazo.

Elas treinam a nossa memória de trabalho também e são simples de serem utilizadas já que são hábito fáceis de serem adotados.

  • Associações: as associações também servem para reter memórias de curto prazo. A ideia é associar novas informações com outras mais fáceis de serem lembradas como músicas, imagens, siglas, partes do corpo etc.
    .
  • Agrupamentos: essa é uma técnica bem utilizada para melhorar o desempenho da memória de curto prazo. Caso precise decorar um telefone ou RG, por exemplo, sempre agrupe os dígitos em grupos de 2 ou 3 números.
    .
  • Xadrez: essa também é uma ótima opção para treinar e desenvolver a memória de curto prazo já que o xadrez faz com que você analise o tabuleiro e planeje alternativas de movimentos para as próximas jogadas futuras.
    .
  • Jogo da memória: o jogo da memória trabalha especificamente com a memória visual a curto prazo. Aumentando a capacidade de armazenarmos informações visuais e reter elas até encontrar os pares corretos das cartas

 

Conclusão

Nesse artigo vimos sobre a memória de curto prazo, que é a nossa verdadeira memória operante. Talvez você já tenha percebido a importância dela para o desempenho de inúmeras atividades vitais que executamos diariamente.

Depois de tudo o que você aprendeu hoje, certamente já compreendeu mais como funciona a memória recente e conhece alguns exercícios para levar ela a um melhor desempenho com o tempo.

Aprendeu também que ela não caminha em separado da memória de trabalho, sendo até tratada muitas vezes como a mesma, devida sua importância para a qualidade das memórias duráveis.

Existem alguns atalhos que provam como a boa memória pode ser uma habilidade possível para qualquer um. E uma técnica especial para isso está no nosso e-book gratuito, aconselho baixar!

Gostou desse artigo? Então compartilhe, pois certamente são habilidades pessoais que todos devem conhecer.

Conheça os Reais Caminhos do Autodesenvolvimento

Ganhe um E-book Grátis e receba nossa serie de desenvolvimento pessoal para você superar os seus limites
Entre para a nossa LISTA VIP