Inscreva-se na nossa LISTA VIP

E Ganhe Nosso Guia

GRÁTIS !
🔒 Somos contra SPAM

Antes de aprender como ter autoestima alta, é preciso saber que ela é um produto do autoconhecimento, ingrediente da felicidade humana, estado psicológico sublime e de realização.

A maior parte das pessoas é vítima de problemas de autoafirmação diante de desafios psicológicos. Temos essencialmente sensações de insegurança, pois somos construídos através de uma gigantesca sopa genética.

Somos resultado de um processo evolutivo incessante. Nossos genes são códigos que nos fabricam, comandam nossas formas, desejos e medos.

Medos geram a insegurança, e essa, compromete diretamente a nossa autoestima. Enquanto a segurança define se teremos autoestima alta ou baixa.

Este trabalho vai proporcionar conhecimento. O Saber e conhecer são as únicas formas de controlar impulsos, que geram comportamentos, que se consolidam e programam a pessoa que somos.

Na maior parte das situações, somos “passageiros”, pilotados por “motoristas” internos, que nos conduzem por caminhos emocionais desconhecidos e que, na maioria das vezes, nem sabemos como chegamos ali.

Nós apenas constatamos que nos construímos como pessoas inseguras, temerosas, hesitantes e prejudicadas por nossa total inabilidade em lidar com nossos mecanismos internos.

O motivo, é que não sabemos como funcionamos, como os estímulos provocam impulsos que geram comportamentos e que nos constroem, ou destroem. E conhecer isso é ter autoconhecimento.

Nossa missão aqui é transferir informações que vão demonstrar como se controla a segurança na mente humana. E como a hipnose pode ser decisiva no processo para construir uma autoestima alta.

Uma autoestima elevada a níveis suficientes para permitir uma visão mais ampla dos elementos que constroem a vida em nossas relações externas, mas que nascem nas profundezas internas de cada um de nós.

 

O Que Significa Autoestima?

contruir a autoestima pela hipnose

Autoestima significa a autonomia pessoal de perceber valor próprio, ou em outras palavras, o ato de se auto estimar. Que em resumo, é o amor-próprio e a autovalorização.

Carl Rogers definiu autoestima como uma ferramenta do ego. Um primeiro estágio incompreendido da individualidade.

Fugindo um pouco dos conceitos técnicos da psicologia, um determinado gene, ligado ao sentido de sobrevivência e competição, produz uma percepção de si mesmo, que Rogers definia como self.

A importância disso é imensa, ter autoestima alta é parte fundamental para o progresso humano. Até Maslow reconhece isto e coloca este item como um elemento básico de sua pirâmide de necessidades humanas.

Este princípio de consideração pessoal, de gerar proteção ao redor do próprio “eu”, de defender as percepções que temos sobre cada um de nós, nasce na pessoalidade. Ela vem do berço e também é obtido pelo tratamento que tivemos na infância.

Também pode ser abalado por traumas e insatisfações em série, mas o mais importante de toda a teoria de Carl Rogers é que, segundo ele e toda a sua tese vencedora na psicoterapia “Não-diretiva” (centrada no próprio paciente), a autoestima pode ser aprendida!

Mesmo que o ambiente de desenvolvimento de cada indivíduo não tenha sido o ideal, mesmo que ele tenha experimentado situações de frustrações contínuas, mesmo que as ocorrências de sua vida e seus ambientes tivessem o poder de diminuir sua percepção sobre si mesmo, ainda assim, é possível aprender como ter autoestima alta.

 

Autoestima Elevada é Combustível Para Ter Segurança

Autoestima alta é arma de guerra. Antigos guerreiros possuíam rituais fantásticos de motivação antes de enfrentarem o inimigo.

Não era para menos. Em épocas de espadas e lanças, onde normalmente as mortes eram violentas e os espólios envolviam atos de extrema crueldade, essas também eram formas de desmoralizar adversários e deixá-los inseguros.

Nossa tendência conquistadora sempre foi uma constante e, na totalidade dos casos, a diferença entre vitória e derrota estava na estrutura dos exércitos, mas o mais importante era o estado de ânimo e confiança dos combatentes para controlar a própria insegurança.

Ter a autoestima alta é o componente fundamental de um estado de ânimo positivo, combativo e dos que prosperam no que fazem. Por consequência são pessoas mais seguras e destemidas.

A segurança é um componente que gera a motivação e esta, por sua vez, está totalmente alicerçada sobre a autoestima, que em decorrência do nível de segurança, pode ser uma autoestima alta ou baixa.

Autoestima é uma análise subjetiva da visão que cada um tem sobre seu próprio potencial. E ter ela em alta é um combustível para ter a segurança necessária para enfrentar qualquer guerra interna ou externa.

Nossa primeira reação diante dos desafios é selecionar, nos armários e gavetas da nossa mente, a soma de nossas experiências e, através delas, entender se somos ou não capazes de vencer.

 

Autoestima Alta é A Nossa Autoimagem Bem Construída

Acredite! Seja qual for a visão que você faça sobre si mesmo, ela será uma fotografia 30% diminuída de seu verdadeiro potencial, pois é natural ao humano se diminuir diante das probabilidades arriscadas.

Nossa sopa genética nos aproxima ou afasta de recompensas ou ameaças.

Entender como ter autoestima alta é produto de autoconhecimento. Na verdade, tudo é fruto do conhecimento. Tudo inicia e termina a partir do conhecimento ou da falta dele.

Conhecer a si mesmo produz dois elementos psicológicos que vão acompanhar cada individuo através de toda a sua jornada neste universo racional: Autoimagem e Autoestima.

“A autoimagem significa a forma como você se vê, enquanto a autoestima é como você se sente.”

A forma como você se sente, sua autoestima, é o fator preponderante ante o que você precisa enfrentar e suplantar para conquistar objetivos.

E isto é um ciclo que, como tal, se retroalimenta, pois conquistas ou frustrações são fundamentais para o tipo de evolução que sua autoestima experimentará.

Acúmulos de realizações produzirão efeitos positivos como ter autoestima alta e segurança, enquanto uma quantidade expressiva de frustrações produzirão o contrário como a baixa estima e insegurança.

 

Qual A Diferença Entre Autoestima E Autoconfiança?

Autoconfiança é a crença na capacidade pessoal de executar algo como foi idealizado, de possuir as habilidades necessárias para isso ou acreditar no potencial de se preparar até realizar tal objetivo.

Claramente a autoconfiança elimina a falta de confiança pois é um atributo criado conscientemente por automotivação diante de alguma situação.

Autoestima não. Autoestima é profunda, habita os porões, é resultado de uma série de ingredientes, fatos, acontecimentos, experiências, crenças, traumas, bloqueios e todo um universo que sequer habita o campo racional, aquele que você pode comandar conscientemente.

Imagine que você esteja parado diante de um feroz leão faminto e simplesmente tente se convencer de que não deve ter medo.

Bem, provavelmente você terá confiança para entrar na jaula antes de ser devidamente devorado. E experimentará a maior sensação de medo que já teve em sua vida.

Sabemos que o medo pode ser substituído pela coragem dentro do inconsciente humano utilizando hipnose, mas ele não é uma escolha racional, pois habita o seu universo interno mais profundo.

Agora para completar essas explicações, assista ao vídeo do Dr. Luiz Alberto Hanns e entenda como a modelagem da nossa autoimagem tem um papel-chave em como ter autoestima alta:

Autoimagem, Autoestima Alta e Como nos Modelamos

 

Leia Também → Por Que A Falta De Confiança Acontece E Como Superar Ela

 

As Características e Sintomas da Baixa Autoestima

Ter autoestima baixa ou alta, são resultados, marque bem isso!

Autoestima é um estado de espírito e de ânimo, que se manifesta na proporção em que a vida da pessoa, em diversos aspectos, oscila, para mais ou para menos.

É impossível evitar as oscilações, pois a vida é um processo dinâmico, mas é possível conhecer a forma como todo o processo funciona e, a partir disto, gerar mecanismos psicológicos para proteger a mente e manter com mais frequência a autoestima elevada.

Primeiro é preciso identificar os sinais mais tradicionais de problemas com autoestima baixa e, para ajudar, vamos apresentar algumas características e sintomas que indicam a possibilidade dela estar em níveis abaixo do que deveriam.

Depois deles serem compreendidos, fica mais fácil encontrar formas de como ter autoestima alta e ter confiança em melhores níveis.

É elementar que cada um desses sintomas da autoestima baixa, que mostrarei a seguir, existem em doses equilibradas. Alguns deles são efeitos naturais da psique humana e devem ser comuns a qualquer pessoa.

O problema acontece quando alguns destes sinais estão em níveis elevados ou quando alguém percebe possuir mais de 5 destes itens operando em associação.

Isto significa que a autoestima alta passa longe de você e, no seu caso, cabe buscar ajuda.

 

Os Sintomas Da Autoestima Baixa

  • Senso de nulidade: A ideia de que você não tem serventia, de que ninguém precisa de você e sua existência é indiferente.
    .
  • Senso de infelicidade: Sensação de ser infeliz por não conseguir encontrar alegria nas coisas cotidianas.
    .
  • Necessidade da afirmação alheia: Uma necessidade constante de aprovação por parte dos outros para se sentir importante.
    .
  • Falta de poder de opinião: Medo e insegurança em dar sua opinião sobre certos assuntos. Omissão da própria opinião preferindo a opinião dos outros.
    .
  • Senso de inferioridade: Impressão de ser sempre menor que todo mundo, menos produtivo, competente e menos incluído.
    .
  • Insegurança: Sensação de desequilíbrio emocional diante das situações corriqueiras. Permanente estado de tensão sobre a possibilidade que algo dê errado e você seja responsabilizado.
    .
  • Senso de inveja: Vontade de querer trocar de vida com alguém. Inveja da estabilidade e confiança das outras pessoas.
    .
  • Senso de culpa: Sentir angustia e culpa constante, mesmo sem possuir responsabilidade sobre os fatos ocorridos.
    .
  • Insegurança estética: Achar que sua estética é feia, que seu cabelo está ruim e seu conjunto visual é desagradável.
    .
  • Falta de iniciativa: Ser apático a situações urgentes e ter falta de iniciativa mesmo para coisas simples.
    .
  • Elevados níveis de ansiedade: Aflição contínua, aperto no peito, dificuldade para dormir e quase nunca se divertir.
    .
  • Não imposição de limites: Dificuldade clara em dizer não aos outros e sempre ceder, limitando assim os próprios desejos.
    .
  • Insatisfação constante com resultados: Achar sempre que poderia ter feito melhor, sendo demasiadamente autocrítico e insatisfeito.
    .
  • Senso de perseguição: Sensação de estar sempre sendo perseguido, que as pessoas estão monitorando seus erros e que a qualquer momento “a casa vai cair”.
    .
  • Focar defeitos invés de qualidades: Percebe somente os próprios defeitos, chegando a se surpreender diante das qualidades esquecidas.

 

Instintos Respondem a Estímulos e Provocam Comportamentos

como ter auto estima alta e confiança

Possuímos padrões genéticos evolutivos que nos comandam. Por isto é costumeiro afirmar que somos guiados por répteis, pois nossos instintos são exatamente os mais primitivos.

Instintos são genéticos, hereditários e evolutivos. Instintos respondem a estímulos, que podem ser internos ou externos.

Normalmente, vêm de fora para dentro, e alguns, quando chegam de forma contundente, provocam o tal sequestro emocional e nos desequilibram, nos tiram o chão e provocam comportamentos que, fatalmente, causam alguma espécie de dano.

Não é possível controlar instintos ou emoções, mas é possível gerenciar os comportamentos que eles provocam.

São os comportamentos que resultam em ações, e são as ações que geram resultados, positivos ou nem tanto.

Certamente ter autodomínio a partir da inteligência emocional seja o maior trunfo para gerenciar esses comportamentos. Ele é essencial para a evolução do homem, mas é um aprendizado para uma vida inteira.

Controlar comportamentos é controlar resultados e, a segurança vem da confiança, que por sua vez é uma ferramenta para o controle comportamental. A autoestima torna-se alta quando temos bons resultados, portanto, ela deve caminhar junta com a segurança.

Vivemos uma disputa ferrenha, por vezes, disfarçada, por outras, definitiva e sempre, continuamente, inclemente, impiedosa e aparentemente cruel.

“Conta o velho provérbio africano, que todas as manhãs, nas savanas, a mais lenta das gazelas acorda com uma missão: correr mais rápido que o mais veloz dos leões.”

No mercado e na vida existe dualidade.

“E não por outro motivo, na mesma savana em todas as manhãs, o mais veloz dos leões acorda com a missão de correr mais rápido que a mais lenta das gazelas.”

E a parte mais dura e inclemente é que a gazela que acaba sob a força das garras e mandíbulas dos felinos, é a mais frágil, mais fraca, mais desatenta e, enfim, a mais despreparada.

 

Então Modificamos Os Comportamentos Provocados Pelos Estímulos

Já sabemos que ter autoestima alta é resultado de uma soma de fatores e, a maioria deles, está nos porões de nossa mente, nas profundezas de nosso subconsciente, inacessíveis ao nosso processo racional.

Quando aprendemos como ter autoestima alta, geramos autoconfiança, a capacidade de acreditar no próprio potencial. O resultado mais imediato dessa autoconfiança é a segurança, um posicionamento positivo diante dos desafios.

O conhecimento racional, associado ao elevado nível de segurança, vem da autoconfiança elevada, que programam o conjunto humano para sua vitória.

O contrário também é verdadeiro.

Um estado de autoestima baixa e enfraquecida compromete os níveis de autoconfiança, gerando insegurança e deixando aflorar o medo, incerteza, hesitação e, diante disto, todo o conjunto humano de se programar, antecipadamente, para o fracasso.

Dessa forma, o que era para ser ataque, vira defesa. O que era para ser impulso, vira retração e nem precisamos contar o resultado desta postura.

Ninguém administra nada se está com medo, muito menos o seu comportamento diante dele.

Aliás, o medo é uma emoção, oriunda de um instinto, dos mais primordiais, que está ligado ao nosso réptil de sobrevivência.

Não podemos controlar o medo, pelo menos, não de nossa superfície racional. Então, o que podemos, e devemos fazer, é controlar nosso comportamento diante dele.

 

6 Técnicas Psicológicas para Controlar A Insegurança

Antes de aprendermos como vencer a insegurança e entendermos como ter autoestima alta e elevada, precisamos tratar alguns sintomas que nos “enterram” cada vez que se manifestam.

A ideia é controlar os sintomas enquanto atuamos profundamente na solução das causas que nos impedem de enfrentar a insegurança.

Vamos lá!

Normalmente, pessoas com autoestima baixa, tendem a apresentar comportamentos extremos em situações que envolvem algum tipo de pressão.

Vamos apresentar 6 técnicas para você praticar e aplicar, sempre que se sentir diante de algo que possa fazer você perder o controle da sua insegurança em algum nível e causar algum estrago.

E depois leia também esses outros 6 Truques Mentais Para Vencer a Insegurança Segundo Os Terapeutas. Eles também são baseados em conhecimentos de valor que podem ajudar muito nessas ocasiões.

 

1 – Em estado de ansiedade, masque um chiclete

O cérebro é uma máquina perfeita. Se você está aflito, com elevados graus de ansiedade, algo que a maioria das pessoas realmente não quer fazer é comer.

Assim seu corpo entra em estado de encolhimento e proteção e a fome passa na hora. Mascar chiclete manda ao cérebro o sinal de que você está comendo e, na compreensão de seus sentidos, isto faz com que o cérebro assuma a tendência de relaxar o seu estado de ansiedade.

A ansiedade é um estado mental que anda de mãos dadas com a insegurança e diminuir esse estado pode conferir maior controle pessoal, não duvide disso.

Como já comentado, quando recebemos estímulos, eles são gatilhos para alguns comportamentos e aqui está uma ótima forma de contornar comportamentos de ansiedade por estímulo também.

 

2 – Forçar emoções é a melhor forma de ativá-las

Atores de cinema e televisão possuem o talento de chorar copiosamente, de forma natural, para a gravação de algumas cenas.

Eles “entram” na realidade dos personagens e passam a simular a sensação que ele sentiria, transferindo para si esta emoção e portanto, chorando, sorrindo, sendo feliz, tendo medo, tudo de forma que pareca natural, pois de fato, a emoção foi provocada propositadamente.

Provoque a felicidade e alegria. Inicie exercitando o sorriso e o bom humor. Force, não é fácil, mas em seguida vira natural, pois sua mente interpreta o momento e finalmente age como tal.

Esse estímulo físico de sorrir pode ser o gatilho para a mente ficar mais suscetível e aberta a alegria. É muito simples pois o sorriso tem vínculo a toda uma rede neural responsável pelo senso de humor.

É o efeito semelhante ao que acontece quando ficamos impacientes só de ver alguém balançar a perna repetidamente ou bater os dedos da mão em uma mesa. E caso você faça, também ficará impaciente.

 

3 – Exercite a calma e a paciência, ao menos na aparência

É um jogo complicado, mas faça como manda a música e “exercite a paciência”. Exercite a calma e, ao menos, procure parecer tranquilo.

A outra parte de qualquer discussão ficará cada vez mais estressada e, em breve, envergonhada, lhe pedindo desculpas. Então troque de lugar e em vez de ser você, que seja ela.

Busque respirar lentamente, conte até 10 com concentração aos números e pausadamente, ou então, simplesmente feche os olhos e imagine um lago tranquilo ou uma folha caindo lentamente da árvore.

Sabe aquela velha técnica do “conte até 10 e respire”?

Pois é, ela realmente dá certo!

Um novo processo cognitivo entra em cena e racionaliza a contagem dos números, desviando assim o seu foco da sensação do nervosismo.

Os efeitos que isso tem para o controle da insegurança são evidentes, pois inibem o seu sistema límbico de desencadear sensações impulsivas que levam ao descontrole.

E nada melhor para a autoestima do que ter mais segurança sobre certas situações, principalmente depois que você vence elas. Pois é dessa forma que a autoestima se eleva.

Garantidamente, quanto mais controle e calma, mais confiança você passa para as pessoas e se alimenta dela para qualquer outra ocasião, portanto, exercite sempre e se aprimore em fazer isso.

 

4 – Pratique, force e exercite o entusiasmo

Abra a janela e diga: “Bom Dia, Lindo Dia!”, mesmo que você não acredite. Passe ao seu cérebro as instruções de como você quer se sentir sobre todos os dias que virão.

Com o tempo, ele compreenderá e te ligará com esta sensação automaticamente. E saiba que induzirá sua mente fortemente pela repetição de fazer isso.

Pratique o entusiasmo com as coisas, no mínimo, por estar vivo, não ter limitações e, as que você possuir, poderem ser transformadas e evoluídas. Nós estamos aqui para isto!

E perceba como colocar empolgação na intonação de voz ao falar com as pessoas modifica o seu dialogo. Isso pode tornar tudo mais interessante e o retorno disso pode lhe estimular cada vez mais.

Então utilize palavras de gratidão e elogios sinceros da sua percepção mais otimista e generosa. Perceba como está gostoso o pão do café da manha e se entregue ao sabor de todas as outras coisas do dia.

Encante-se com o mundo, force sua mente a amar ele, para que, de forma romântica e a princípio até ilusória, se torne em motivação para que você realmente passe a ter um lindo dia.

 

5 – Respire e crie um canal direto com seu estado emocional

Quando você entra em pânico, está em estado de medo ou ansiedade, sua respiração muda, é um processo de defesa, de sobrevivência. E seu réptil está no controle.

Sua respiração possui um canal direto com suas profundezas emocionais. Ela fica mais forte em momentos de risco para oxigenar mais seu cérebro e tornar sua mente mais ágil e preparada.

E se a respiração é um reflexo da sua emoção, também pode ser uma ferramenta de controle sobre essa emoção. Então nas situações de ansiedade, respire longa e profundamente.

Gradativamente seu estado interno vai retroceder e você voltará ao controle, na medida em que modifica a velocidade da sua respiração.

Perceba como isso pode ser importante para a técnica numera 3 e faça exatamente como o recomendado. Esse tipo de ação é o marco inicial para qualquer meditação ou estado de hipnose também.

 

6 – Demonstre notar os bons atributos das pessoas em seus primeiros encontros

Ansiedade nos primeiros encontros pessoais ou profissionais, tem a ver com a situação de controle da reunião e do dialogo. Uma dica interessante, caso se sinta inseguro, é notar a cor dos olhos do interlocutor e mencionar ela.

Isso demonstra que você é detalhista e que sua mente está aberta a percepções que, em estado de tensão, passariam desapercebidos por outras pessoas.

Se falar dos olhos lhe pareça constrangedor, evite, mas demonstre perceber algum detalhe, como a cor da parede, a textura da mesa, um detalhe de decoração do ambiente dessa pessoa ou algo assim.

Os olhos costumam funcionar porque são pessoais e mais determinantes. Mostram que você da importância realmente para as portas da mente de uma pessoa, que são seus olhos.

A comunicação com os olhos é importante na interação interpessoal. Principalmente para aqueles que querem parecer mais confiáveis, além de passar segurança de que estão compreendendo o outro.

Então de qualquer forma, olhe sempre nos olhos das pessoas para se mostrar seguro de que está em sintonia com elas. E claro, para entrar verdadeiramente em sintonia com elas.

 

Como Ter Uma Autoestima Elevada Reprogramando a Mente

como reprogramar a mente para ter autoestima elevada

Já falamos que somos frutos de uma sopa genética e sua evolução. Uma espécie de programação mental que nos confere habilidades e ou inabilidades.

Melhorar, alterar e evoluir nosso sistema de crenças, nada mais é do que aprender como reprogramar a mente dentro do programa que nos governa.

Aprender como construir uma autoestima alta, ter um sistema de crenças elevadas, bem como combater o sistema de baixa autoestima e insegurança, podem ser trabalhados mentalmente através de um processo de reprogramação mental.

Já sabemos que tudo é proveniente de conhecimento. Confúcio dizia que “o princípio do conhecimento é, em tendo-o, usá-lo”.

Tudo bem alguém agir como réptil por não saber que é pilotado por um. Mas a partir do momento que entendermos como funcionam nossos instintos, tudo pode ser premeditado.

Nossos instintos que geram os estímulos, eles são respondidos com reações emocionais, depois geram comportamentos que fazem de nós o que somos, com nossas conquistas e fracassos.

Não interceder conscientemente sobre estes elementos tão decisivos para nosso sucesso ou fracasso é ignorar a nós mesmos.

Aprender como ter uma autoestima alta também é fruto de atitude. E que pode ser manifestada pela simples experimentação, pois o subconsciente tem um poder a ser despertado, que por hora é pouco conhecido pela ciência, mas já muito registrado pela história.

Ignorar é não saber e, se você sabe e não pratica, nenhuma evolução pode ser obtida pois nada pode ser estimado sobre aquilo que não foi ainda provado por você.

Mas é claro que você quer. Se não quisesse não teria lido o aprimore sua mente e chegado até aqui, até este artigo, até este parágrafo, até esta linha. E a partir daqui é que tudo pode mudar.

 

Como Reprogramar o Funcionamento de Sua Máquina de Decisões

como ter autoestima alta com reprogramação mental pela hipnose

Vamos entender agora como construir sua autoestima alta, pronto para aprender?

Simplificando, sua mente é dividida em dois grandes elementos, consciente e subconsciente.

A anatomia ajuda pouco no dimensionamento destas duas partes, pois não é possível dizer exatamente o tamanho de cada uma, mas do ponto de vista psicológico, o entendimento é de que o subconsciente é muito maior que o consciente.

Isso quer dizer que, dos elementos que nos pilotam, temos relativo conhecimento sobre uma pequena parte, enquanto a maior parte de nossos comandos, vem de um lugar gigantesco, desconhecido e que nunca visitamos conscientemente.

Nossas ações conscientes são poderosas, mas limitadas.

Os principais elementos psicológicos encontrados na superfície de nossa consciência são:

  • Reflexões.
    .
  • Pensamentos objetivos.
    .
  • Raciocínio lógico.
    .
  • Manifestações sensoriais.
    .

Enquanto os elementos que estão nas profundezas de nosso subconsciente estão:

  • Compulsões.
    .
  • Fobias.
    .
  • Traumas.
    .
  • Estruturas emocionais.
    .
  • Memórias consolidadas.
    .
  • Crenças limitantes.
    .

Nossos processos racionais são conscientes e conseguimos controlá-los. Mas os elementos estruturais de nossas emoções e comportamentos habitam um lugar obscuro.

Aprender como reprogramar a mente é encontrar o caminho para jogar luz nesta escuridão, visitar as profundezas dos porões mentais e conhecer profundamente cada estrutura emocional que constrói nossa personalidade.

Assim é possível construir a ponte que leva até nossa autoestima mais elevada e permitir uma alteração, de dentro para fora. Esse efeito transforma a autoestima baixa, numa autoestima alta, mais poderosa e ativa.

Podemos atuar nas nossas compulsões, conhecer e enfrentar fobias, medos, desdobrar nossos traumas, reconstruir nossas estruturas emocionais, rever e superar nossas memórias consolidadas e, principalmente, desmontar nossas crenças limitantes.

Reprogramar a mente é se reconstruir para uma vida nova, de dentro para fora. É enfim uma ação de produzir e manter a autoestima alta.

 

O Uso da Hipnose na Reprogramação da Autoestima

como fazer hipnose para ter autoestima elevada

A psicologia utiliza a hipnose como caminho para as salas escuras que precisamos acessar para nos reprogramar, inclusive para produzir uma autoestima alta na vitória contra a insegurança.

Sigmund Freud descobriu que o primeiro passo para entender a psique humana era, invariavelmente, duvidar do que a sua parte consciente afirmava.

Grandes dilemas internos tendem a criar carapaças, por isto se diz que, em primeiro lugar, é preciso aceitar o problema, para só então seguir na direção de sua solução.

Na psicologia, ninguém se cura de algo que não acredita existir, o mesmo acontece para aprender como ter autoestima alta, que envolve também esse autoconhecimento.

Hipnose é uma técnica psicológica de acesso ao subconsciente através da elevação do estado mental do paciente ao nível conhecido como transe, uma forma adequada de tornar a mente sugestionável.

Leia Também → 15 Fatos da Hipnose e Sua Ciência Que São Surpreendentes

 

O Que Significa A Hipnose?

Hypnos significa sono, mas a evolução da psicologia descartou a associação da técnica ao estado mental de sono.

Clark Leonard Hull (1884-1952), mestre de psicologia da Yale University, foi o responsável pelo primeiro estudo científico aceito internacionalmente sobre hipnose e descartou qualquer associação dela ao sono, que terminou absorvendo esse nome.

Para Hull, hipnose era o poder da mudança a partir da sugestibilidade.

A capacidade de levar pessoas a acessar seus níveis de consciência mais profundos, às margens do subconsciente e, através dele, identificar as origens dos comportamentos e sentimentos que, por sua vez, não encontravam explicação ou controle no universo racional.

De uma forma simplificada, a hipnose é uma técnica utilizando métodos que levam a pessoa a estados profundos de consciência, através de exercícios de relaxamento e sugestão, conduzindo seus níveis de tranquilidade e percepção para seu interior, abstendo-se de tudo que esteja fora das fronteiras de sua mente.

“A evolução desta “viagem”, quando bem-sucedida, é um nível de transe consciente, onde é possível perceber o que não se percebe no universo consciente.”

É como encontrar um armário que nem sabíamos que estaria ali e, mais que isto, reordenar o seu conteúdo, no todo ou em parte, alterando para melhor as fontes de nossos impulsos e, portanto, sentimentos e comportamentos.

Isso resulta sem sombra de dúvidas na melhoria de nossos resultados e na reconstrução de uma autoestima alta.

 

O Que É Possível Fazer Através Da Hipnose

A hipnose é uma técnica milenar e seus registros estão em inúmeras civilizações desde o início da escrita. Reconhecida pela associação médica internacional, a hipnose pode modificar a mente em muitos aspectos.

Mas ela é comumente utilizada na sociedade moderna para algumas especificidades bem experimentadas em todo o mundo como:

  • Anestesia: O primeiro a utilizar de forma científica a anestesia hipnótica foi o Dr. James Esdaile em 1845. Hoje o Conselho Federal de Odontologia (CFO) reconhece e regulamentou a aplicação de hipnose como mecanismo de anestesia complementar e existem 180 dentistas autorizados a utilizar a técnica.
    .
  • Curar vícios compulsivos: É perfeitamente possível curar vícios de origem compulsiva, como o tabagismo, o alcoolismo, a gula e praticamente todos os vícios que tenham características de compulsão.
    .
  • Implantar memórias inexistentes: É possível implantar memórias que nunca existiram e fazer o paciente acreditar que aquele fato é verdadeiro, para o bem ou para o mal.
    .
  • Desenvolvimento Pessoal: É totalmente possível alterar ou melhorar níveis de competência, capacidade emocional e intelectual através da autoajuda feita pela hipnose, onde o paciente atua sobre suas limitações e desenvolve mecanismos de compreensão e elaboração das limitações, normalmente, resolvendo definitivamente o problema.

 

O Que Não É Possível Fazer Através Da Hipnose

A hipnose também é alvo de charlatanismo e truques de palco. Não por ser uma farsa ou coisa parecida, mas por poderem ser utilizadas de forma antiética e realmente corrupta por algumas pessoas.

Muitos desses feitos estão nos truques de marketing agressivos para vender desvantagens e outros meios lúdicos para enganar as pessoas. Mas muitos são mitos e aqui estão alguns deles:

  • Apagar memórias: A mente é uma parede branca que, uma vez manchada, não pode mais ser imaculada. O que ali está escrito, continuará escrito. É possível trabalhar a forma como lidamos com nossas memórias, mas nunca apaga-las através do cuidado hipnótico.
    .
  • Acessar memórias reprimidas: Memórias protegidas por traumas são de difícil acesso. Outras técnicas precisam ser associadas para abrir a porta destes armários que a própria mente se encarrega de tornar inexpugnáveis.
    .
  • Hipnotizar animais: Eles não possuem o nível de consciência para trabalho hipnótico, embora alguns truques similares tenham sido apresentados como mágica através da história. Animais respondem a instintos exclusivamente e, portanto, não possuem o senso crítico necessário para a intervenção hipnótica.
    .
  • Regressão às vidas passadas: A ciência não reconhece a existência de vidas anteriores e nossa abordagem, neste artigo, é totalmente científica, considerando que iniciamos na nossa concepção, é só até ali que possuímos registros gravados e que podem ser acessados num processo hipnótico.

 

Sigmund Freud E A Nova Forma De Fazer Hipnose

Freud descobriu que toda a hipnose, na verdade, é uma auto-hipnose. Alguns estudos apontam que ele teria rejeitado a hipnose, mas isso não é verdade.

Freud sempre utilizou a hipnose.

A diferença é que, num primeiro momento, Freud se especializou em basear sua psicanálise na Teoria dos Sonhos e, como sabemos, hipnose não tem nada a ver com sono.

Porém, os sonhos, matéria-prima para a ciência de Freud, são elementos produzidos exclusivamente pelo subconsciente, universo que só pode ser acessado de forma produtiva através da hipnose.

Freud utilizou a hipnose por muitos anos, até que a presença de um câncer em sua boca, resultante de seu hábito de consumir fortes charutos, impossibilitou que ele atingisse o timbre de voz que, para ele, era fundamental na indução de seus pacientes ao transe hipnótico.

Ele não abandonou a hipnose, apenas passou a fazer uso de outros elementos de elevação ao transe.

Ele mesmo mencionava que mudou seu ambiente, a cor das paredes, elementos de decoração, introduziu a música ambiental (que é usada até hoje), incensos e, o mais importante, a sua presença imponente.

Com esta transição, Freud definiu que toda a hipnose é, na verdade, uma auto-hipnose. E segundo ele, o terapeuta apenas abre caminho para um processo que o paciente entra se quiser e alcança se quiser.

Ainda segundo sua teoria, se o paciente quiser, de fato, não precisa de elemento indutor externo, podendo atingir o transe e atuar em seus “armários internos”, sozinho.

Portanto é possível lidar e trabalhar com sua autoestima, de forma que ela seja sempre uma autoestima alta, uma autoestima elevada à patamares que transformem sua vida.

Você pode simplesmente decidir se visitar por dentro. Conhecer seus cantos obscuros e lidar com os conteúdos de seus armários que guardam os répteis que te pilotam.

 

Como Fazer Auto-hipnose Para Ter Autoestima Alta e Maior Segurança

como reconstruir a autoestima

A autoestima elevada é um trabalho, um processo, uma atitude e estado mental.

A auto-hipnose é a ferramenta de operação no campo onde estas emoções acontecem, permitindo sua manipulação psicológica e trabalho sobre as estruturas que também produzem a autoestima alta.

Toda conquista é resultado de dedicação, evolução e isto só acontece com a soma de dois fatores primordiais. O autoconhecimento e a prática.

É preciso se conhecer e é preciso praticar as ações sobre o que foi conhecido, um verdadeiro treinamento, assistido e orientado por você próprio.

Sempre deixamos claro em todo este conteúdo que estamos falando de ciência, de psicologia aplicada, sem curandeirismos, mágicas ou coelhos tirados da cartola que, como num passe de mágica, vão transformar você no maior herói das galáxias.

Não se conquista nada sem o investimento de tempo e esforço. Mas não se desespere, você não chegou até aqui para sair frustrado por não saber o que fazer.

Vamos ensinar como praticar a busca pelo estado de transe que pode levar você ao porão da sua mente, onde estão guardados os armários de suas emoções e instintos psicológicos.

Com a prática dedicada de nossa orientação, você vai experimentar estados de pureza de espírito e tranquilidade da mente que jamais imaginou existir e, no mínimo, vai ter uma demonstração do poder que existe adormecido em você, para logo em seguida, construir o que precisar em sua mente, incluindo a autoestima elevada para vencer qualquer insegurança.

 

Exercício de Auto-hipnose

como programar a mente com autohipnose para ter autoestima elevada

Pare tudo o que está fazendo, desligue qualquer som ou interferência, feche a porta, tenha a convicção de que estará com toda a sua atenção voltada para cá, para este texto, para este momento. Lembre que ninguém no mundo, neste momento, quer que isto funcione mais do que você.

Por mais cético que você seja, concentre sua atenção no que vai ler agora e aprenda:

A natureza é a mãe, o berço. É para lá que vamos voltar, para o colo de nossa mãe, para o melhor e maior de todos os berços…

Você vai encontrar um lugar, junto à natureza, onde ela esteja em seu estado mais puro possível. Então escolha esse local, aquele que mais se identificar.

  • Pode ser no mar, diante do oceano.
    .
  • Em meio a mata, entre as árvores.
    .
  • Pode ser numa pedra, no alto de uma montanha.
    .
  • Ou então no chão, no pasto, em meio a um campo.
    .

Pode ser em qualquer lugar onde você esteja absolutamente sozinho, em contato com a natureza em sua forma mais crua e pura, sem os sons urbanos, apenas os sons da natureza, da água correndo, das ondas, do vento acariciando as folhas e galhos das árvores.

Se posicione de maneira confortável. Se preciso, se recoste no tronco da árvore, ou na pedra.

Procure se manter sentado, que sua coluna vertebral, parte integrante de seu conjunto encefálico, fique na vertical, não deite.

 

Primeiro Feche Seus Olhos

Programe-se de maneira que não vá mais abri-los até que, internamente, você saiba que terminou o exercício e só então acione o comando para abrir os olhos.

Esteja confortável, seguro.

Olhos fechados.

O primeiro exercício é tentar fazer algo impossível: Não pensar em nada!

Você está vivo, sua mente é um turbilhão, você jamais vai conseguir ficar sem pensar em absolutamente nada, mas isto não significa que este não seja o caminho que você deve percorrer.

Sua mente, até este momento, é um lago. Um enorme lago, onde as águas estão turbulentas, nervosas, sem condições de navegação.

Você vai acalmar as águas de seu lago mental. Deixá-las o mais tranquilas possíveis.

Deepak Chopra dizia que:

“Ideias são como pequenas pedras jogadas no imenso lago da mente. Se as águas estão revoltas, você pode jogar uma geladeira e nem perceberá onde ela caiu, mas se as águas estiverem serenas, uma pequena pedrinha vai causar um movimento que você perceberá de longe.”

Queremos sossegar essas águas de seu lago interno.

Cada vez mais, cada vez maior concentração neste objetivo, cada vez maior tranquilidade, se livrando de todos os pensamentos, ao menos os conflitantes, os problemas, as incertezas, os medos e insegurança.

Livre-se de tudo! Respire devagar, profundamente e com ritmo. Você perceberá que sua amplitude de sentidos é muito mais intensa.

Primeiro você vai sentir uma leve dormência agradável em sua perna esquerda. Você vai se surpreender quando acontecer, mas não perca a concentração.

“Não se perca nos pensamentos naturais de “Nossa!!! Isto está funcionando mesmo!””

Acredite desde já, funciona e sua concentração é a parte mais importante de tudo isto, não perca o processo se admirando por algo que é científico, você apenas não conhecia, vamos em frente.

 

Aprofunde Sua Concentração

Você perceberá que sua perna direita adormece como aconteceu com a perna esquerda, agradável, relaxante. Também não se perca em admiração, é parte do processo e significa que você está chegando onde precisa chegar.

Respiração suave, profunda, longa. Concentração total na tranquilidade das águas do lago.

Agora você se sente relaxado, não sonolento, apenas bem tranquilo.

Como sua vida é uma grande turbulência, o lago tranquilo é uma novidade. E é bom, aproveite por algum instante.

Hora de SENTIR!

Perceba como a paz é um elemento reconfortante, bom e agradável. Sinta a pureza e limpeza, que ela existe, e também é como ela que você deseja sua mente.

Hora de se RENDER!

Se entregue ao agora e assuma que a vida é maravilhosa e pode ser calma, sobretudo, controlada.

Perceba que você pode controlar sua própria máquina, que está na central de comando com todos os botões no painel à sua frente. Você está começando a se pilotar.

Hora de INDUZIR!

Aplique em seu estado de espírito mais profundo as suas determinações. O faça no afirmativo e imperativo, sempre!

Comece de maneira simples e repita para seu subconsciente, que está ali, aberto para você, aguardando suas mensagens.

Diga para ele:

  • Eu sou um ser superior!
    .
  • Sou resultado de milhões de anos de evolução!
    .
  • Tenho todas as ferramentas que preciso para construir a felicidade!
    .
  • Sou seguro, confiante, tenho uma autoestima inabalável!
    .
  • Sou criatura e criador da minha mente!
    .

Repita isto, quatro ou cinco vezes. E determine ao subconsciente que, a partir desse momento, essa é a instrução que vai comandar tudo que acontece em seu universo.

Hora de DESPERTAR!

Diga a você mesmo que está despertando. Levante-se gentilmente da posição que estava.

Abra os olhos e desperte definitivamente desse transe espontâneo que você criou.

 

O Que Reprogramar Durante os Exercícios para Ter Autoestima Elevada

Manter a autoestima elevada através da auto-hipnose não é difícil e bastam algumas sessões induzindo a sensação desejada que nossa mente absorve como uma esponja.

Através dos exercícios que você vai praticar na hora da determinação de seus objetivos no subconsciente, você deve buscar afirmações objetivas que atinjam essa meta.

Durante suas práticas de auto-hipnose, faça as seguintes afirmações:

  • Programe seu subconsciente para identificar e valorizar suas qualidades.
    .
  • Programe seu subconsciente para aprender a cuidar de você, suas atitudes.
    .
  • Programe-se para o autoconhecimento e avaliar internamente todos os seus comportamentos.
    .
  • Programe seu subconsciente para perdoar a si mesmo e aceitar as dificuldades com aprendizados de compreensão.
    .
  • Programe seu subconsciente para exercitar o pensamento e mentalidade positiva.
    .

Quando internalizar essas informações em sua mente, terá atingido um grau de clareza e autodesenvolvimento realmente acima da média para aprender como vencer a insegurança em qualquer circunstância.

 

Considerações Finais

Mantenha essa autoestima elevada e faça um trabalho de construção, pois ninguém é tão seguro que não precise de mais segurança.

Ninguém é tão forte que não precise de apoio e ninguém é tão sábio que não precise aprender.

Ter autoestima é um estado de espírito, que vai te levar a superar a insegurança sem ficar travado por muito tempo.

Tudo acontece ao aprender como reprogramar sua mente e tirar as rédeas de seu comando das mãos dos répteis que te pilotaram desde sempre.

A autoestima elevada deve ser nativa, mas pode e deve ser buscada e desenvolvida cada vez mais. Ela é o combustível que determina a diferença entre sucesso e fracasso.

É algo que você precisa primeiro conhecer, e posteriormente cuidar como algo extremamente precioso. Pois a autoestima elevada vai definir que tipo de vida você terá e, acredite, tudo depende apenas da sua escolha.

O conhecimento é como algo que você viu quando abriu a porta, e ao fechar a porta novamente, não tem poder que faça você esquecer o que foi visto.

Seu cérebro é uma conjunção fantástica e poderosa que pode construir ou destruir, fazer sorrir ou chorar, lá no fundo, continuamos sendo apenas e tão somente, produtos e resultado das nossas experiências.

Escolha ser feliz!

Conheça os Reais Caminhos do Autodesenvolvimento

Ganhe um E-book Grátis e receba nossa serie de desenvolvimento pessoal para você superar os seus limites
Inscreva-se na nossa LISTA VIP