Inscreva-se na nossa LISTA VIP

E Ganhe Nosso E-Book
GRÁTIS !

🔒  Somos contra SPAM

Não é exagero dizer que aprender como ter amor próprio passa primeiro por entender que o utilizamos bem quando felizes. E por outro lado, quando com autoestima baixa, podemos até mesmo nos detestar em certos momentos.

O amor é um sentimento que só pode surgir de dentro para fora. Mesmo quando bebe de outras fontes, que estão sobretudo em nossos relacionamentos amorosos e familiares.

E para amar os outros de forma saudável em qualquer tipo de relacionamento, como você já deve ter ouvido, é preciso antes amar a si próprio. Caso contrário, o amor se turva por sentimentos de posse, submissão ou narcisismo.

Portanto, o amor mais importante é aquele que nos torna receptáculo e fonte desse sentimento. Que nos torna sensíveis em percebê-lo e ao mesmo tempo senti-lo em nós mesmos ou quando temos empatia pelos outros.

Mas em certos momentos da vida, nada mais natural para o amadurecimento de uma pessoa do que passar por uma crise existencial. E ela pode trazer muitos questionamentos que desmoralizam e atingem o próprio ego.

Caso você esteja preso(a) em uma turbulência emocional sem saber como ter mais amor próprio, então há um sinal de que está no momento de adquirir uma visão diferente sobre si.

A mente humana é realmente fabulosa, e quando plantamos as sementes certas, podemos colher bons frutos por muito tempo.

E o amor é um desses frutos, que pelas mão humanas pode resultar em solidariedade, compreensão, perdão e finalmente no fortalecimento da autoimagem de qualquer pessoa.

Esse artigo não é somente sobre filosofia e psicologia. O intuito dele é lhe fazer refletir um bocado sobre a sua posição na vida e na sociedade. Pois o seu amor-próprio, acredite, é muito importante para todos nós.

Boa leitura!

 

O Que é Amor Próprio

O amor-próprio significa ter grande consideração sobre o bem-estar e felicidade pessoal. Um sentimento que leva a comportamentos amorosos e outras ações de culto ao próprio ego.

Ter amor-próprio é estar em um estado de apreço a si mesmo e tomar ações que apoiam a manutenção da esfera física, psicológica e espiritual de uma pessoa.

Exemplos de comportamentos amorosos ou efeitos psicológicos construídos pelo amor-próprio:

  • Autocompaixão
  • Autoaceitação
  • Autoestima
  • Autoconfiança
  • Entre outros

Segundo a psicologia, estar nesse estado mental aumenta a consideração sobre as nossas ações pessoais, e por isso, no quão bons somos com nós mesmos e também para as outras pessoas.

 

Autocompaixão, Autoestima, Autoconfiança e o Equilíbrio do Ego

Folhas de um livro dobradas formando um coraçãoNa psicologia, o conceito de amor-próprio já passou por décadas de teorizações ligadas ao controle emocional das pessoas.

A autocompaixão, que é a ação de ser compreensivo diante de falhas pessoais, é um desses comportamentos amorosos que mais frequentemente faltam nas pessoas segundo os profissionais da psicologia.

Apesar desse comportamento ser típico de pessoas com autoestima bem construída ou com confiança em si mesmo, não significa a mesma coisa, apesar da forte relação.

Segundo a Dr. Kristin Neff, pioneira nas pesquisas sobre autocompaixão e autora do livro – Manual de Mindfulness e Autocompaixão: Um Guia para Construir Forças Internas e Prosperar na Arte de Ser Seu Melhor Amigo:

“A autoestima refere-se ao nosso senso de valor percebido ou o quanto gostamos de nós mesmos … A autocompaixão, em contraste com a autoestima, não se baseia nessas autoavaliações.” – Kristin Neff.

Enquanto a autoconfiança pode fazer você se sentir melhor sobre suas habilidades, ela pode por outro lado levá-lo(a) a superestimar bastante essas habilidades.

Isso sem uma ponderação pode resultar em uma autoimagem mau construída, incompatível e até mesmo prejudicial.

Então a autocompaixão, que não faz julgamentos de valores, permite você reconhecer suas falhas e limitações, permitindo assim que você se perdoe e olhe de um ponto de vista mais objetivo e realista.

Dessa forma, aprender como ter amor próprio passa por esses aspectos importantes da psicologia com equilíbrio. Pois quando é embasado nesses princípios, impede as pessoas de tornarem-se narcisistas ou egocêntricas.

Amar a si mesmo com real independência e equilíbrio requer portanto certa inteligência emocional. Não somente por você precisará ter mais autocontrole, mas também porque é preciso se autoconhecer bem diante de seus próprios sentimentos.

 

Como Ter Amor Próprio Na Relação Consigo Mesmo

pessoa sem amor proprio refletindo de cabeça baixaNos tempos de hoje, após o romantismo e seus escritores, o amor se transformou em sentimento. Ele significa um ato sexual entre duas pessoas ou então o mais forte vínculo sentimental que possa ser criado por uma pessoa.

Mas surgida em tempos remotos, na época dos Hunos e passada aos Mongois, a palavra amor não era um sentimento.

Na concepção da palavra e na interpretação daqueles tempos, o amor também significava um ato sexual entre duas pessoas, mas era um comportamento.

Quais comportamentos amorosos antigos eram esses?

Os mesmos que nos dão garantias de que estamos sendo amados ou amando nos dias de hoje. Eles são através dos atos de ser:

  • Compreensivo
  • Atencioso
  • Prestativo
  • Carinhoso
  • Preocupado
  • Cuidadoso
  • Bondoso
  • Entre outros

E talvez esteja na hora de voltarmos um pouco no tempo e utilizar o amor como ações concretas. Pois ao final, por efeitos desses comportamentos, o amor estará lá de qualquer forma e por atos que nos levam a sentimentos.

Com a explicação dada sobre amor aqui, talvez você tenha ganho uma compreensão melhor da mensagem de Jesus Cristo. E compreenda agora que não é impossível também amar aos outros como amamos a nós mesmos.

“Amai-vos uns aos outros, ensinai-nos a amar de verdade e com obras…”

Pois esse era o sentido original da palavra amor naqueles tempos antigos, e sem dúvidas, é esse o único amor próprio que você precisa.

Por isso vamos ver 3 dicas que podem até mesmo fazer você se tornar uma pessoa melhor em muitos aspectos. Além, é claro, de fazê-lo ter cuidados pessoais para construir uma autoimagem com muito mais amor.

 

1. Altere A Química Do Seu Corpo e Modifique Sua Mente

Como você deve imaginar, nosso corpo e cérebro compartilham a mesma química, hormônios e vivem dos mesmos insumos produzidos em nosso organismo.

Claramente é por efeitos bioquímicos que nossa mente recebe estímulos de bem-estar. E quando tudo está saudável, nossos receptores cerebrais funcionam sem qualquer inibição, nos tornando bem ativos e perceptivos diante da vida.

Ter mais amor próprio passa necessariamente por cuidados pessoais que envolvem o físico e psicológico. E ambos podem ser atingidos de uma mesma forma, dando uma nova injeção de hormônios em você.

A melhor receita para você ficar com condições psicológicas perfeitas e ter uma química cerebral ideal, é cuidar da sua saúde.

Já sabe o que precisa fazer não?

  • Faça mais atividades físicas, sinta seu corpo trabalhar, seja com musculação, exercícios aeróbicos ou o que for.
  • Modifique também a química do seu corpo fazendo uma boa alimentação.
  • Tenha sonos regulares e respeite sempre o seu relógio biológico.
  • Acrescente doses de alegria e lazer para equilibrar com suas preocupações ou para cada momento de estresse.

A maior prova de amor próprio é o cuidado pessoal. Saiba que agindo assim, você será amoroso com você e inúmeras colônias de microrganismos que compõem o seu microbioma humano.

Coexista adequadamente com os outros seres vivos que lhe compõem, eles podem fazê-lo se sentir muito melhor do que você está hoje!

 

2. Crie Uma Lista Contínua de Autorreconhecimento

As vezes no meio a uma bagunça na vida tão comum a qualquer pessoa, esquecemos quem somos de verdade. Podemos nos desconectar de nossos sonhos e esquecer certos valores pessoais.

Aprender como ter amor próprio e autoestima elevada também é perceber o nosso potencial, nos recordarmos dos desafios superados e de que eles sustentam nossas ambições de ter um futuro melhor.

Você pode pegar 10 pessoas de sucesso e verá a organização mental que elas tem. Boa parte guarda uma agenda com as melhores passagens da própria vida, que muitas vezes dão esperança, autoconfiança e alegria quando revisitadas.

Não é preciso necessariamente ter uma agenda, mas em algum momento do dia fazer o seu próprio plano de reconhecimento. Um ritual útil para perceber que o amor existe e que ele está sempre perto de você.

Veja como as pessoas agem umas com as outras, a força de vontade que tem em colaborar e a questão que fazem de serem gentis a todo o momento.

Seja sensível a isso e perceba em você mesmo(a) esses feitos.

O cuidado que teve ao estudar para ter boas notas, no serviço que teve esmero em concluir ou na refeição saborosa que preparou.

O amor está em nossas ações, e como explicado, ele significa o cuidado, dedicação, esforço e inúmeros outros comportamentos somados.

Todos esses são comportamentos amorosos que existem na sua vida e terminaram em sucesso. Então leve a sua mente a recordar desse amor como forma de autorreconhecimento.

 

3. Passe Um Tempo Sozinho e Reforce os Seus Laços

Todos temos uma personalidade formada, mas que é dividia em partes. Certas vezes temos uma parte conservadora e outras mais ousada, assim como um lado preguiçoso e outro mais proativo por exemplo.

Claro que dependendo do nosso estado interno, em certos momentos podemos ter conflitos. O mesmo pode acontecer com o amor próprio quando nos sacrificamos demais sem obter qualquer tipo de recompensa.

Muitas pessoas têm uma crise séria quando vivem no automático sem perceber estímulos. Elas simplesmente não guardam um tempinho para si mesmas e também dificilmente param para refletir.

É uma provação pessoal de amor próprio o fato de relaxar e curtir uma preguiça, se presentear de vez enquanto ou simplesmente fazer as coisas que mais ama.

Isso não requer dar satisfação a ninguém, apenas separar um dia para curtir a melhor companhia do mundo, você mesmo(a)!

Mas claro, isso envolve se tratar superbem, realizar os seus próprios luxos e viver sensações boas criadas por você.

Essa ação significa ter total independência emocional como você deve perceber. E são momentos desses, sozinho(a) e reforçando seus laços que mais podem contribuir com o seu amadurecimento emocional.

Muitas pessoas separam o dia de folga no domingo para cultuar a Deus. E talvez você deva separar um desses dias para cultuar a si mesmo(a) e ficar mais entregue aos seus reais desejos curtindo a sua própria companhia.

 

Como Ter Amor Próprio No Relacionamento

casal no balance de mãos dadasQuando falamos sobre como ter amor próprio de forma intrapessoal, estamos falando sobre o egoismo, que não se passa do culto ao próprio ego.

Esse é um pensamento filosófico mal-ensinado e que também passou por revisionismo, mas que confere valores nobres que nos enaltecem. E eles podem também nos levar ao único e verdadeiro altruísmo como resultado final.

Algumas correntes filosóficas dizem que o altruísmo é uma virtude humana natural. Aquela de se doar sem interesses ou sem qualquer contrapartida.

Mas como já dizia Aristóteles, o altruísmo não se passa do próprio egoísmo. E quando nos mobilizamos tendo amor ao próximo, nunca o fazemos sem obter nada em troca.

Também não o fazemos sem a percepção do ‘eu’ antes do próximo, como se possa pensar.

Não, o ser humano não realiza as coisas de graça e sem propósitos, mesmo quando de forma inconsciente. A nossa mente simplesmente não funciona dessa forma.

Todos precisamos de estímulos em troca de nossas ações, ou seja, a velha lei do retorno nunca é ignorada.

Quando amamos ao próximo, por exemplo, apenas o fazemos quando obtemos em troca a satisfação pessoal. Isso significa que, na verdade, é o nosso próprio ego que nos torna bons.

Fazemos o bem em troca de nos sentirmos bem, pelo simples estímulo resultante de nossas ações.

E definitivamente, ser egoísta não é sinônimo de egocentrismo ou narcisismo como o dito popular insiste erroneamente em estabelecer.

O conceito original do egoismo não pode ser abandonado em sua etimologia, por isso é importante que ele seja conhecido nessa leitura também.

Por esse motivo, as 3 dicas de relacionamento interpessoal a seguir podem soar um pouco diferentes do que você já leu. Elas são compatíveis com a psicologia humana e podem fazê-lo se valorizar mais, ou seja, ter mais amor próprio.

 

1. Trate-se Da Mesma Forma Que Deseja Ser Tratado Pelos Outros

Quando você se apresenta sem cuidados formais, sem postura adequada ou sem qualquer amor próprio, as pessoas recebem a sua mensagem. Elas entendem que você não se importa muito ‘com cerimonias’ desse tipo.

Mas compreenda que os efeitos de ser mal tratado(a) em certas ocasiões pode ser um reflexo de como você vem se tratando. E isso significa dar liberdade para as pessoas lhe tratarem mal.

Então quando tiver oportunidade durante qualquer dialogo, cite os seus feitos de maior valor, seus melhores pensamentos e não se coloque para baixo nunca.

Faça melhor, anuncie ao mundo quem você realmente é e do que deseja!

A comunicação que você usa para si mesmo em sua mente pode refletir também na sua linguagem subliminar. As pessoas percebem essa linguagem de forma inconsciente e também reagem a isso.

Então é uma boa hora para mudar a forma como você se trata em seu íntimo e reconhecer seus valores. Dessa forma, as pessoas poderão ‘ler você melhor’ em sua comunicação com elas.

A dica aqui é simples e vai direto de encontro com a neurolinguística humana.

Prefira se enaltecer como pessoa e modifique sua linguística ao comunicar-se consigo mesmo(a). Isso indubitavelmente modifica a sua autoimagem e por consequência reflete na comunicação oculta que você faz com outras pessoas.

 

2. Não Entregue O Seu Melhor Sem Fazer Troca Justas

Abrir-se demais com pessoas que você ainda não conquistou completamente pode parecer desespero ou carência. E mendigar atenção pode diminuir muito o seu valor social também.

Já provou deixar as pessoas que não vem lhe tratando bem com saudades ou então simplesmente dizer não a elas de vez em quando?

Ter amor próprio nesse momento não se passa de corresponder aos sinais conforme eles surgem. E somente corresponder a eles sob trocas justas e graças aos estímulos corretos.

  • Isso significa dar risada quando houver graça.
  • Elogiar quando alguém for digno do seu elogio.
  • Perguntar somente quando houverem dúvidas.
  • Fazer favores quando houver reciprocidade.

Acha coisa de interesseiro ajudar as pessoas obtendo algo em troca? Então a outra pessoa seria bem legal por querer sua ajuda de graça é isso?

Perceba que isso requer aprimorar o autocontrole, já que muitas vezes correspondemos às pessoas por força do hábito, que muitas vezes nos faz ter esforço demais com as pessoas erradas.

Bem, em todo o caso, busque apenas ajudar as pessoas por sempre seguir seus princípios. Faça apenas em troca da sua satisfação pessoal e autorrealização, que já essa também é uma ótima forma de amar a si mesmo e alimentar o seu ego.

 

3. Não Dependa Dos Outros Para se Sentir Amado(a)

Claro que você pode perguntar para as pessoas porque elas amam você. De certa forma isso pode ampliar sua visão sobre si mesmo e para que se depare com qualidades que não percebia antes.

Mas limite-se a isso.

Utilize o elogio das pessoas apenas para conhecer seus valores e não agradeça por esses elogios. Afinal, você não pode agradecer outras pessoas por ser dono das suas qualidades próprias não é mesmo?

Então apenas aceite os elogios e concorde ou fique quieto. Absorva e sinta eles para você.

Claro que isso vai construir a sua autoimagem com mais amor próprio quando feito muitas vezes. Com isso, você passara pelos efeitos da reprogramação mental conduzida pelos próprios hábitos.

As pessoas podem até pensar que você está se achando, mas, na verdade, elas estão erradas, pois você é! E apenas assumiu a identidade que antes negava.

É o seu universo pessoal que se mobiliza quando você aprende como ter autoconfiança. Pois após essa pequena dica, você poderá até mesmo mexer com a realidade de outras pessoas e passar confiança para elas sabia?

Essas são as palavras da Jen Sincero, escritora best seller e autora do livro – Você é fera: Pare de duvidar do seu potencial e comece a viver uma vida incrível.

“Se você basear sua autoestima no que todos os outros pensam, você entrega o seu poder para as outras pessoas e se torna dependente de uma fonte de validação exterior a si mesmo.” – Jen Sincero

Compreenda com isso algo muito claro.

É muito mais importante o conceito que você tem sobre si próprio do que o conceito que outras pessoas têm sobre você. Assim como é mais importante o que você pensa das pessoas do que aquilo que elas pensam a seu respeito.

 

Conclusão

A construção de uma autoimagem adequada requer algumas ferramentas. Elas são sensações e estímulos obtidos por comportamentos, que podem ser instigados pelos exemplos que foram vistos aqui.

Amar a si mesmo é um aprendizado como qualquer outro, e para a nossa mente, principalmente para a mente subconsciente, obter sensações é obter experiências.

Torne esses ensinamentos em experiências na sua vida e aprenda com eles. Compreenda seus efeitos em seu psicológico e sobre as outras pessoas que convivem na sua vida.

pessoa com amor proprio segurando recorte de coraçãoCertamente os conceitos e filosofias aqui destacados pelo Aprimore Sua Mente podem ser melhor compreendidos quando colocados em prática. Eles levam a caminhos bem interessantes para o seu autoconhecimento e podem aprimorar a sua inteligência emocional também.

Caso tenha gostado desse artigo e ele tenha lhe arrancado algum pensamento novo, compartilhe com outras pessoas.

Principalmente aquelas com baixa autoestima e que sempre se colocam para baixo, pois as vezes, basta apenas um pequeno feixe de luz para iluminar o essencial.

Conheça os Reais Caminhos do Autodesenvolvimento

Ganhe um E-book Grátis e receba nossa serie de desenvolvimento pessoal para você superar os seus limites
Entre para a nossa LISTA VIP